© Shahzad ABDUL Migrantes resgatados pela ONG SOS Mediterranée, no barco Ocean Viking, a 55km da costa italiana
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Itália começou a testar os 180 migrantes resgatados pelo navio humanitário Ocean Viking no Mediterrâneo, com o objetivo transportá-los a bordo de um navio de quarentena para a Sicília, disse uma fonte do Ministério do Interior no sábado. Com informações AFP.

Membros de uma equipe médica enviada pelas autoridades para o porto siciliano de Pozzallo “estabeleceram a ausência de problemas sanitários específicos e também relataram que as tensões registradas no navio [da organização SOS do Mediterrâneo] estão sendo reduzidas”, segundo esta fonte. 

A equipe médica está testando os migrantes para verificar se estão infectados com o novo coronavírus e depois disso eles serão transferidos a bordo de um navio de quarentena atualmente em Porto Empedocle, na costa sul da Sicília. 

“A situação está sendo monitorada para a transferência de migrantes, prevista para segunda-feira, 6 de julho, no Moby Zaza”, segundo a mesma fonte. 

Brigas, tentativas de suicídio, ameaças físicas à tripulação: a tensão era tão insustentável a bordo que o navio humanitário declarou “estado de emergência” na sexta-feira, um evento sem precedentes. 

Desde quinta-feira, várias brigas foram relatadas, principalmente entre grupos étnicos, além de seis tentativas de suicídio.  

Os 180 migrantes, incluindo paquistaneses, norte-africanos, eritreus e nigerianos, foram resgatados pelo navio SOS Mediterranean em quatro operações separadas, nos dias 25 e 30 de junho. Entre eles, 25 são menores de idade.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •