Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

METRÓPOLES – Convidado da segunda temporada da série Atos, da TV Brasil, Cauã Reymond desabafou sobre o fato de ser ator. A produção reúne grandes nomes da dramaturgia brasileira a fim de investigar a fundo o trabalho por trás das artes cênicas.

“Inicialmente eu sofri muito preconceito porque eu era lutador, surfista e ex-modelo. Eu entrei na televisão super ‘verde’, ainda em Malhação, e fui crescendo a cada trabalho. Cresci pelo meu desejo e coragem”, disse Reymond, segundo o colunista Flávio Ricco, do portal UOL.

“O ator tem que ter muita coragem de olhar para o que não está legal. Porque às vezes é muito fácil você se esconder por trás de um pensamento, ou de uma ideia…”, disse ainda o global.

No episódio em que fala sobre o ofício de ator, Reymond concluiu: “Somos vaidosos, a vaidade faz com que a gente chegue num lugar melhor. Quem tem uma grande vaidade trabalha mais e quer ser melhor. Mas a vaidade também pode cegar. Essa harmonia é o mais difícil de encontrar”.

O programa — parceria da TV Brasil com a Casa das Artes de Laranjeiras no Rio de Janeiro — é apresentado por Bruno Barros e dirigido por Manoel Borges e Waldecir de Oliveira.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •