Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Jefferson Schroeder, o “ator das mil vozes”, passou por um susto no prédio onde mora. No Instagram, ele postou vídeo de câmera de segurança e relato sobre ter acordado cedo e… ajudado a apagar um incêndio.

“Ouvi da rua a síndica gritando. Nosso prédio estava pegando fogo no elevador. Peguei meus documentos e desci tremendo, ligando para os bombeiros. Passei e vi o fogo. Na rua, só estava eu e a minha vizinha. Enquanto gritávamos para o prédio, para acordar todos, decidi voltar para tentar apagar as chamas”, contou.

View this post on Instagram

Pela primeira vez na quarentena acordei bem cedo. Estava ansioso. Fiz uma meditação guiada no Youtube (pela primeira vez) e deitei para jogar videogame. Ouvi da rua a síndica gritando. Nosso prédio estava pegando fogo, no elevador. Peguei meus documentos e desci tremendo, ligando para os bombeiros (193). Passei e vi o fogo. Na rua, só estava eu e a minha vizinha. Enquanto gritávamos para o prédio, para acordar todos, decidi voltar para tentar apagar as chamas. Vi o extintor e procurei um lacre, tentando ler as instruções. Nisso, os moradores já desciam. Mirei e as chamas continuaram (estava maior do que aparece no vídeo, já tinha subido para o teto do elevador). Dimi, meu vizinho, mirou o segundo extintor e as chamas finalmente cessaram. O que pode ter acontecido? Segundo os técnicos do elevador, o uso de álcool em gel e álcool comum no painel do elevador, molha a fiação interna (porque o álcool entra pelas beiradas dos botões) e causa curto-circuito. Conselhos: Mantenham seus extintores novos e nunca deixem ninguém trancado, sem chave, dentro de casa. Afinal, a gente nunca sabe quando precisará sair. O bombeiro Brian que habita em mim, saúda o bombeiro Brian que habita em você. Deus, obrigado por nos dar tempo para resolver. Teatro, obrigado pela coragem.

A post shared by Jefferson Schroeder (@schjefferson) on

Schroeder apanhou um extintor de incêndio e resolveu atacar as chamas. “Mirei e as chamas continuaram. Dimi, meu vizinho, mirou o segundo extintor e as chamas finalmente cessaram. O que pode ter acontecido?”, contou o ator.

Segundo técnicos responsáveis pelo elevador, pode ter havido um curto-circuito causado pelo uso de álcool em gel e álcool comum no ambiente. “Porque o álcool entra pelas beiradas dos botões”, completou Schroeder.

O artista aconselhou: “Mantenham seus extintores novos e nunca deixem ninguém trancado, sem chave, dentro de casa. Afinal, a gente nunca sabe quando precisará sair. O bombeiro Brian que habita em mim saúda o bombeiro Brian que habita em você. Deus, obrigado por nos dar tempo para resolver. Teatro, obrigado pela coragem”, finalizou, citando um de seus personagens. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •