Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Secretaria de Estado de Juventude, Esportes e Lazer (Sejel) realizou, na manhã de segunda-feira (05/08), uma reunião com representantes da empresa Fábrica de Eventos e do Nacional Futebol Clube, que disputará partida pelas oitavas de final da Copa Verde 2019, nesta próxima quarta-feira (07/08), em Manaus. Por ser o mandante do jogo, o clube amazonense tem a prerrogativa para escolher o local do jogo (Arena Vivaldo Lima ou Estádio Ismael Benigno), mas a Arena, por questões contratuais e, principalmente, de segurança dos atletas e dos torcedores, está inviabilizada.

A empresa produtora de eventos, maior cliente da Arena Vivaldo Lima (da Amazônia), possui contrato assinado desde janeiro de 2019 para utilização da Arena no dia 10 de agosto, sábado, e assinalou que a demanda do Nacional surgiu apenas na última sexta-feira (02/08).

Durante a reunião, a Sejel expôs como motivos que tornam inviável a realização de um jogo na Arena o fato de que os trabalhos finais para o espetáculo musical “Garota VIP” estão em pleno andamento, devido ao tamanho da estrutura, portanto não haveria tempo hábil para desmontar e depois remontar para o próximo fim de semana.

Situação similar – A mesma situação de coincidência de data para eventos distintos ocorreu em Belo Horizonte (MG), no estádio Mineirão. Na ocasião, para desmontar a estrutura musical em dois dias para a realização de um jogo e depois remontar a estrutura musical em dois dias para um grande show, foram gastos R$ 100 mil a mais, com a utilização de guindastes e outras tecnologias de montagem e desmontagem de estruturas, recursos nunca antes utilizados na Arena da Amazônia, portanto, inviabilizando essa possibilidade aqui.

A Sejel enfatiza que nunca fez cobrança ou mesmo apresentou uma proposta para a desmontagem dos palcos, pois a possibilidade nem foi cogitada. “Enfatizamos ainda que no sábado (03/08), quando o Manaus F.C. passou para a final da Série D, ao vencer o Jacuipense da Bahia, a Fábrica de Eventos concordou em interromper por 24 horas a montagem da estrutura do ‘Garota VIP’, o que possibilitou a partida. Por isso agradecemos à empresa e aos torcedores que compreenderam e compareceram à Arena. Se desse para fazer, faríamos. Por segurança, o jogo será na Colina”, finalizou Caio André de Oliveira, titular da Sejel.

Os representantes do Nacional sinalizaram positivamente durante a reunião, demonstrando que entendiam os motivos de o jogo ser direcionado para o Estádio Ismael Benigno (Colina), e assim ficou definido, com a concordância espontânea de todos os presentes.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •