Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Movimento Unidos pela Saúde estiveram na manhã desta sexta-feira em frente Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio a Maternidade Ana Braga, na Zona Leste de Manaus, onde gritavam “a saúde vai parar”, fazendo um alerta ao governador José Melo, que ainda não quis sentar com a categoria para uma negociação e isso poderá levar os profissionais a lançar um indicativo de greve geral.

De acordo com a coordenação e articulação do “Movimento Unidos pela Saúde” o movimento foi lançado com uma mobilização dos trabalhadores da saúde na frente do Pronto-Socorro João Lúcio, no dia 02 deste mês na presença de um assessor da Secretaria de Saúde, se agendou uma reunião com uma comissão formada por representantes das várias categorias profissionais.


Os profissionais caminharam na manhã de hoje na André Araújo na Zona Leste de Manaus

Na reunião a comissão onde estiveram presentes representantes da Susam e dos Sindicatos dos Assistentes Sociais (SASEAM), Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais (SINDFITO) e Farmacêuticos (SINDFARM), entregou pautas reivindicatórias com proposta de reunião com o Governador do Estado, José Melo, mas o pré-candidato a reeleição não atendeu aos funcionários da saúde que hoje saíram em caminhada.

Entre as pautas do movimento estão: Reajuste salarial de 20%; Programas habitacionais para os trabalhadores da saúde; tiket alimentação; vale transporte; reforma do PCCR – Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração, propondo o modelo de subsídio já adotado pelo Município de Manaus; Planos de Saúde para o trabalhador e seus dependentes; melhorias das condições de trabalho.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •