Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PRTB), defendeu na terça-feira, 09, que o Estado precisa deixar que empresas tanto nacionais quanto multinacionais invistam  no Amazonas, à propósito do gás natural, hoje,  um monopólio da Cigás .

 “O monopólio da Cigás precisa ser quebrado para o desenvolvimento  geração de renda e empregos de 16 municípios do interior”, defende.

Segundo Josué Neto, são mais de 10 mil novos empregos que a Cigás, através  de seu monopólio,  deixa de viabilizar para  Manaus, de aumentar a rede de distribuição de gás, que gás não é apenas de cozinha. Querem mentir para o povo. O gás se transforma em energia, em energia veicular, energia residencial, então, vamos parar de mentir Cigás”, completa.

Com a lei do gás e o fim do monopólio,  Neto assegura que grandes multinacionais, como Texaco, Shell e Chevron, estão  prontas para exploração do recurso natural no Estado.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •