Delegada Andrea Nascimento
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em alusão à campanha “Junho Violeta”, mês inteiro dedicado à proteção da pessoa idosa, o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), divulga os canais de atendimento para denunciar violações de direito contra os idosos.

No Amazonas, idosos que precisam de atendimento e encaminhamento para as medidas de proteção e garantia de direitos contam com o Centro Integrado de Proteção e Defesa de Direitos da Pessoa Idosa (Cipdi), administrado pelo Governo do Estado, por meio da Sejusc. Os canais de atendimento são (92) 98483-5075, 3306-0160 e 3306-0161.

Além deles, as denúncias podem ser realizadas por meio do  Disque 100 [Direitos Humanos] e Disque 181, ou ainda presencialmente na Delegacia Especializada em Crimes Contra o Idoso (DECCI), localizada na rua do Comércio, s/n°, Parque Dez, zona centro-sul de Manaus. O telefone da unidade é (92) 98214-5800. Os casos também podem ser denunciados em qualquer delegacia do Estado.

Entenda – A secretária adjunta dos Direitos da Pessoa Idosa da Sejusc, Franciane Alves, explica que a pasta é a atual gestora das políticas públicas voltadas a este público e tem o papel de articular e garantir que todos os equipamentos atuem e executem tais políticas públicas.

“Nós trabalhamos com os municípios e com as prefeituras em vários equipamentos. A Sejusc é responsável também pelo Cipdi. No ano de 2019, nós atendemos mais de 2.385 idosos. O atendimento também é voltado à família; muitas não estão preparadas para trabalhar o processo de envelhecimento com o idoso. Por isso é fundamental trabalharmos tanto o idoso quanto a família, para que a gente possa diminuir o índice de violência dentro das residências”, disse a secretária.

Números – Nos primeiros cinco meses de 2020, o Amazonas já registrou 3.626 crimes contra idosos. Entre os principais estão furto, roubo, ameaça, injúria e estelionato, conforme dados da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai).

De acordo com a delegada Andrea Nascimento, titular da DECCI, com a pandemia do coronavírus (Covid-19) e o período de isolamento social, alguns tipos de crimes contra idosos estão apresentando maior incidência.

“Com o advento da pandemia e a intensificação das relações familiares, além daqueles crimes mais comuns, como ameaça, injúria, perturbação da tranquilidade, está havendo o aumento significativo dos crimes de abandono, exposição a perigo, apropriação de bens e maus-tratos aos idosos”, disse a autoridade policial.

A secretária Franciane Alves destacou ainda que em 2019, as tipificações de crimes que a Sejusc mais atendeu, por meio do CIPDI, foram as seguintes: negligência, intimidação, perturbação da tranquilidade e abuso financeiro.

“Vale ressaltar que o Cipdi atua diretamente com a Delegacia do Idoso. Quando identificamos nos atendimentos que existe um crime e que por algum motivo o idoso não quer realizar a denúncia, a equipe psicossocial realiza uma mediação de conflito entre a família e o idoso. E, se permanecer o crime que a equipe identificou, nós encaminhamos o caso para a delegacia especializada e ficamos o acompanhando”, finalizou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •