Didi Redman (Foto - Elcimar Freitas - Fato Amazônico)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O juiz Rogério José da Costa Vieira, da 18ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, julgou procedente ação anulatória impetrada por Carlos Alberto dos Santos e afastou o presidente da Grêmio Recreativo Escola de Samba Vitória Régia, Didi Redman, do comando da escola de samba da Praça 14.

Em decisão no último dia 5, o magistrado ainda declarou nula a ata que aprovou e admitiu novos sócios contribuintes, bem como a invalidade dos atos subsequentes, determinando assim o afastamento também vice-presidência, do Conselho Fiscal e respectivas diretorias da Verde de Rosa.

Na sentença o juiz determina que o presidente do Conselho Executivo, Cosme Lima de Oliveira, assume a direção da escola de samba e de forma célere convocar a Comissão Eleitoral, comissão esta, que deverá se encarregar da realização da eleição.

De acordo ainda com a decisão judicial da nova eleição só terão direito a participar os 56 sócios executivos, conforme diz o estatuto da Vitória Régia.

Em sua sentença o magistrado diz que os novos sócios “foram captados com o fim de beneficiar a atual presidência”, além de ter admitido “novos contribuintes sem a anuência do Conselho Executivo, bem como não realizou Assembleia Geral para aprovar a admissão dos mesmos, o que colide com os termos do artigo 11 do Estatuto”.

Sentença


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •