Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O vereador de Iranduba Pedro Paulo Castro de Almeida, conhecido como “PP”, teve sua prisão em flagrante convertida em prisão preventiva, pelo juiz Túlio de Oliveira Dorinho, da 1ª Vara de Iranduba na audiência de custódia, realizada na manhã desta quinta-feira (21), no fórum de Justiça daquela comarca.

Pedro Paulo Castro foi preso em flagrante na última terça-feira (19) depois de receber a quantia de R$ 5 mil, diretamente das mãos do prefeito Francisco Gomes da Silva, o “Chico Doido”.

De acordo com informações do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO), o prefeito se propôs a ajudar as investigações da Operação Avaritia, onde ele aparece como vítima do pedido de propina. 

O vereador foi conduzido de volta ao 19º Distrito Integrado de Polícia, em Manaus, onde espera portaria do juiz da Vara de Execuções Penais da capital autorizando a entrada dele no sistema prisional.

O parlamentar foi alvo de um desdobramento da Operação Avaritia, deflagrada em agosto deste ano quando foram presos os vereadores Kelison Dieb (PMDB) e Jakson Pinheiro (PMN), suspeitos de participarem de uma organização criminosa que vinha praticando cobrança de propina para a aprovação de Projetos de Lei na Câmara Municipal de Iranduba.

O objetivo da operação é desmantelar um esquema de propina montado dentro do Poder Legislativo municipal com envolvimento de outros parlamentares. Segundo informações dos promotores do Gaeco, o valor da propina combinado com o vereador preso seria de R$ 10 mil, divididos em duas parcelas iguais. Na ocasião da prisão, o vereador recebeu o que seria a primeira metade. A cena foi registrada em vídeo também, com uma câmera escondida.

Decisão


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •