Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A lentidão Justiça do Amazonas, vai acabar matando o tetraplégico Francisco Carlos Sabino Araújo de Figueiredo, preso desde o dia 17 de dezembro do ano passado e que está hoje internado em estado grave no Pronto-Socorro Platão Araújo, na Zona Leste de Manaus. Aposentado por invalidez há mais de 27 anos, não anda e necessita ser carregado para se locomover e fazer suas necessidades, e mal consegue mexer os braços, foi removido do Centro de Detenção para o hospital depois que a diretoria constatou o estado de saúde que ele estava dentro de uma das celas da unidade prisional, debilitado, com febre, vômitos constantes e com feridas por todo o corpo e segundo a família teve as pernas quebradas na cadeia.

Francisco, foi parar o dia 17 do mês passado Centro de Detenção Provisório, localizado no quilômetro 8 da BR 174 (Manaus/Boa Vista), por força de mandado de prisão expedido pelo juiz Julião Lemos Sobra Júnior, da 3ª Vara Especializada em Crimes e Uso e Tráfico de Entorpecentes.

Desesperada com o estado de saúde de Francisco, a família impetrou habeas corpus no Plantão do Tribunal de Justiça, mas o desembargador Cláudio César Ramalheira Roessing, denegou liminar e deixou para o juiz prevento, analisar o mérito.

As pernas de Francisco Carlos, estão completamente inchadas

Com a volta do recesso, os autos foram parar nãos mãos do desembargador Jorge Manoel Lopes Lins, da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Amazonas, que só dia 10, expediu despacho solicitando informações a autoridade apontada como coatora, determinando ainda vista dos autos ao representante do Ministério Público Estadual para manifestação.

Mas, somente na última segunda-feira, dia 13, a secretaria da Câmara Criminal, encaminhou ofício ao juiz Julião Lemos Sobra Júnior, da 3ª Vara Especializada em Crimes e Uso e Tráfico de Entorpecentes, pedindo as informações.

De acordo com informações da assessoria de imprensa do Tribual de Justiça do Amazonas, os autos estão nas mãos do representante do Ministério Pùblico, que ainda não se manifestou para poder o desembargador Jorge Lins, decidir a respeito do habeas corpus de Francisco.

Entenda o caso

No dia 17 do mês passado, Francisco Carlos Sabino Araújo de Figueiredo, foi parar no Centro de Detenção Provisório, localizado no quilômetro 8 da BR 174 (Manaus/Boa Vista), por força de mandado de prisão expedido pelo juiz Julião Lemos Sobra Júnior, da 3ª Vara Especializada em Crimes e Uso e Tráfico de Entorpecentes.

O mandado de prisão preventiva, de acordo com a documentação que o Fato Amazônico teve acesso, foi expedido no dia 29 de outubro, quando o juiz Julião Lemos, atendeu a pedido da delegada Vanessa Pereira Ricardo, da Delegacia Especializada em Prevenção e Repressão a Entorpecentes.

Como não anda, Francisco, teve de ser carregado pelos policiais do 9º DIP para ir para a cadeia

Familiares que pediram para não serem identificados acreditam que Francisco, foi envolvido na acusação de tráfico de drogas depois que uma irmã dele, Mariene Araújo, que é esposa de um acusado de tráfico identificado apenas por “Alan”, foi morar com ele em um flutuante em Manaquiri.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •