Pedro Benício (no detalhe), superintendente da Conab, de acordo com lideranças indígenas fez doação de cestas básicas estragados
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Movimento do Patriarcado Cacicado Geral do Povo Indígena Kokama do Brasio (MPKK), em ofício endereçado ao Ministério Público Federal (MPF), denunciou em junho passado, o superintendente da CONAB no Amazonas, Pedro Jorge Benício Barros, por manifestação preconceituosa e doação de alimentos estragados às comunidades kokama de Manaus.

O movimento MPKK, órgão tradicional Kokama vinculado a Federação Indígena do povo Kukamɨ-Kukamiria do Brasil, Peru e Colômbia (TWRK), documentou com fotografias e vídeos todo produto estragado, que foi apresentado à ministra Damares Alves, que veio a Manaus tratar das ações emergenciais do governo federal aos povos indígenas no Amazonas.

De acordo com o documento enviado ao MPF, Pedro Jorge Benício Barros reagiu com evidente irritação e, na presença da ministra e do cacique Jermano Apurinão e da líder kokama de base, Ana Milena Souna Marulanda de Castro, por exemplo, disparou:

“Vocês não passam de um grupinho sem expressão e que não representam ninguém”.

Representado pelo líder tradicional, o Patriarca Cacique Geral do Povo indígena Kokama, com aprovação dos presidentes da Federação TWRK e OGCCIPK, dos Caciques Gerais de Municípios, dos Caciques de Comunidades, dos Pajés, dos Taitas e lideranças do Movimento indígena Kokama, pediu ao MPF rigorossa apuração da denúncia.

“Exigimos que as doações de cestas básicas estragadas sejam apuradas e que o Estado tenha mais respeito com as lideranças indígenas representativas e lideranças tradicionais conforme a convenção 169 da OIT e artigos 231 e 232 da Constituição Federal”.

Denúncia

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •