Presídio federal de Brasília Foto: Divulgação/Ministério da Justiça
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A disputa entre os líderes da facção criminosa Família do Norte, José Roberto Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, e João Pinto Carioca, o “João Branco” pelo comando que resultou na morte de 55 detentos em quatro presídios de Manaus, levou o Ministério da Justiça a determinar a transferência de nove líderes da FDN para presídios federais de segurança máxima.

Parentes dos detentos nas imediações do complexo prisional em Manaus, neste domingo. Foto: Stringer Reuters

Em sua conta pessoal no Twitter, o ministro Sérgio Moro, informou que disponibilizará vagas em presídios federais, para lideranças envolvidas nos massacres ocorridos nos últimos dias nos presídios do Amazonas.

Nesta terça-feira (28), em entrevista a Rádio CBN, o governador Wilson Lima disse que o número de transferência poderá ser bem mais. “Estamos fazendo um trabalho de investigação e é possível que haja mais de 20 líderes nesse grupo criminosos”, acrescentou, informando que nas investigações foram nove detentos que participaram no massacre.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •