Cafés não possuem mais limites de clientes, pessoas andam de mãos dadas e bares reabrem pistas de dança – e esperam muito público na próxima sexta-feira, 12 - 09/06/2020 Tatsiana Chypsanava/Reuters
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Nova Zelândia retornou à vida normal nesta terça-feira, 9, após mais de três meses de restrições para conter a propagação do coronavírus. Neozelandeses se abraçaram, foram às compras e planejaram festas, enquanto grande parte do mundo ainda enfrenta a pandemia.

Na segunda-feira (8), a nação de 5 milhões de habitantes do sul do Pacífico declarou estar livre do coronavírus, tornando-se um dos primeiros países do planeta a voltar à normalidade pré-pandemia.

Isto significou o fim dos limites de pessoas dentro de cafés, shopping centers, estádios, baladas e em reuniões públicas e particulares. A vida praticamente voltou ao normal.

“Hoje vi mais pessoas do que vi em meses”, disse Steve Price, morador da capital Wellington. “As pessoas estão comprando, jantando e passeando de mãos dadas”, completou.

Os moradores da Nova Zelândia estão emergindo da pandemia enquanto grandes potências, como Brasil, Reino Unido, Índia e Estados Unidos continuam a enfrentar dificuldades com o vírus.

Isto se deve em grande parte a meses de restrições, incluindo cerca de sete semanas de um isolamento rígido durante o qual a maioria das empresas ficou fechada e todos tiveram que ficar em casa, com exceção dos trabalhadores essenciais.

O método neozelandês

Diferentemente dos americanos e da maioria dos países da Europa, que trabalham com a ideia de conter o coronavírus, a Nova Zelândia optou por uma estratégia de eliminar completamente o vírus.

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, elogiada por sua liderança durante a pandemia, impôs ciclos de isolamento social completo, apostando em regras de isolamento social severas antes mesmo do primeiro óbito e em testagem em massa da população.

Além disso, as fronteiras da Nova Zelândia estão fechadas desde o dia 19 de março – antes, por exemplo, de os Estados Unidos anunciarem uma possível restrição das viagens entre o país e o México. O isolamento é mais eficaz, uma vez que o país é uma ilha.

Com abordagem rígida, Ardern, desde o princípio, passou uma mensagem clara: “Estamos nisso juntos”. O resultado foi uma pandemia controlada, com 1.504 casos e 22 mortes pela Covid-19, doença respiratória causada pelo coronavírus.

Clima de festa

Agora, escritórios reabriram, e os ônibus e trens públicos estavam repletos de usuários do transporte intermunicipal. Muitos negócios ainda têm frascos de gel antisséptico na entrada, embora isso não seja mais obrigatório. “Acabei de me dar conta de que posso abraçar alguém hoje”, disse um usuário do Twitter, onde a hashtag #NZSemCovid foi tendência na segunda-feira.

Os bares estão reabrindo as pistas de dança e esperam muito público na próxima sexta-feira, 12.

A Nova Zelândia também será uma das primeira nações a permitir que as pessoas assistam a partidas profissionais em estádios sem limites de ocupação, e se acredita que milhares lotarão as arenas no final de semana de abertura da liga nacional de rúgbi. A única restrição que se manteve foi o fechamento da fronteira com outros países.

(Com Reuters)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •