O artista enfrentava um câncer na mandíbula e tinha tumores em vários pontos da garganta
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

METRÓPOLES – Conhecido desde a década de 1990 por revolucionar a narração de rodeios no Brasil, o locutor Asa Branca morreu nesta terça-feira (04/02/2020), aos 57 anos. Ele estava internado no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) e não resistiu às complicações de um câncer na mandíbula.

O anúncio foi feito no perfil oficial do artista nas redes sociais. Ainda não há informações sobre enterro e sepultamento. “É com muito pesar que informo o falecimento do nosso querido Waldemar Ruy Asa Branca dos Santos”, disse o comunicado.

A última internação de Asa Branca aconteceu na tarde de sábado (25/01/2020). Segundo a mulher do locutor, Sandra Santos, os médicos afirmaram que nada poderia ser feito no sentido de melhorar o quadro do narrador.

Desde dezembro, Asa Branca teve três passagens hospitalares em decorrência da doença, que já estava em estado avançado. Ele também era HIV positivo.

No final do ano passado, a equipe médica deu apenas um mês de vida para o locutor, que recebeu visita de amigos no hospital. “Às vezes, ele está consciente e outras bem confuso. Ele reclama de dores e a morfina não faz mais efeito. Ele não está mais aguentando o sofrimento e já pede para morrer”, disse Sandra Santos à época.

Biografia

Waldemar Ruy Asa Branca dos Santos tornou-se ícone no mundo dos rodeios devido à sua forma única de narrar. Ele começou nessa área por acaso, depois de tentar a carreira como caubói e se acidentar com um touro.

Nos anos 1990, viveu uma vida de luxo. Ganhava R$ 1 milhão ao mês e morava em bairro nobre de São Paulo.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •