Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ideia de uma minissérie contando a história do assassinato da modelo Eliza Samudio foi repudiada por Sônia Moura, mãe da jovem morta em 2010. A Globo demonstrou intenção de criar uma peça de ficção baseada no crime que condenou o goleiro Bruno por assassinato e ocultação de cadáver.

Na terça-feira (14/10/2020), ela conversou com Márcia Goldschmidt sobre a possível produção. “A única forma que meu neto tem de ver a mãe é por fotos, porque ele não tem ela por perto. É através de foto que ele pode ver a mãe dele, porque chega aniversário dele, chega aniversário dela, que é logo depois dele, não tem a mãe. Ele não sabe como era o cheiro da mãe dele, a voz da mãe dele, ele teve muito pouco tempo de vida com a mãe dele. Aí vem a Globo fazer essa minissérie?”, falou.

Márcia lembrou que o caso chocou o Brasil e, por isso, manipulação de fatos seria algo muito improvável. Depois, questionou se Sônia autorizaria a gravação da série. “Não autorizo. Ninguém tá pensando no filho dela que vai completar 10 anos. Vai ter a transição pra adolescência, que não é uma coisa fácil”, frisou, assegurando que a obra comprada pela Globo não mostra a verdadeira face de sua filha.

“O livro retrata a Eliza como uma garota de programa, uma Maria chuteira, que ela se envolveu com o Bruno pelo fato de ter uma gorda pensão”, frisou Sônia, citando o livro Indefensável: O goleiro Bruno e a história da morte de Eliza Samudio, de Paula Sarapu, Paulo Carvalho e Leslie Barreira Leitão. (Com Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •