Aplicação de avaliação de diagnóstico da Semed. Foto: Altemar Alcantara
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Mais de 55 mil alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, da Prefeitura de Manaus, participam da Avaliação Diagnóstica On-line, nas disciplinas de português e matemática. A avaliação iniciou na terça-feira, 8/9 e segue até o próximo dia 15. Os alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da 3ª e 4ª fase, deverão participar do processo no período de 21 a 23 de setembro.

O teste remoto pode ser realizado por meio de celular, computador ou tablet. A Secretaria Municipal de Educação (Semed) está disponibilizando alguns equipamentos para os alunos com dificuldades de acesso à internet, em todas as zonas da cidade. As escolas se prepararam para atender os alunos, obedecendo as exigências sanitárias, devido a pandemia da Covid-19.

Para realizar a avaliação, a Semed firmou parceria com a empresa Primeira Escolha, cuja plataforma será utilizada tanto para a aplicação quanto para o acesso aos resultados. A avaliação conta com 40 perguntas, sendo 20 em cada disciplina de múltipla escolha. O objetivo é identificar as aprendizagens consolidadas pelos estudantes nos componentes curriculares de língua portuguesa e matemática, no primeiro semestre do projeto “Aula em Casa”, para nortear ações de recuperação da aprendizagem dos estudantes.

“A Semed está realizando essa avaliação diagnóstica para que o nosso professor tenha uma visão geral daquilo que o estudante conseguiu aprender do currículo de língua portuguesa e matemática. Quais foram essas habilidades e competências durante esse ensino remoto do projeto ‘Aula em Casa’. A partir daí, vamos iniciar o processo de intervenções para que a gente consiga recuperar essa aprendizagem dos alunos. É de suma importância que a gente consiga o máximo possível de estudantes participando desse processo avaliativo”, destacou o chefe da Divisão de Avaliação e Monitoramento (DAN), da Semed, Anézio Mar.

Para assegurar o sucesso da avaliação, a Divisão de Avaliação e Monitoramento produziu guias de orientação, além de divulgar e organizar toda a parte logística e operacional do diagnóstico on-line em toda a rede municipal de ensino.

Avaliação

Obedecendo as orientações sanitárias com tapete sanitizante, álcool em gel, sabão líquido e máscaras, a escola municipal Joaquim Gonzaga Pinheiro, no bairro Vila da Prata, zona Oeste, se preparou para receber os alunos. Segundo o gestor Fernando Castelo Branco, foi reservado a sala do Telecentro e uma sala equipada com laptops, para atender os 80 alunos do 6º ao 9º ano, que vão fazer a avaliação.

“A escola está abrindo as portas para que esses alunos tenham a oportunidade de fazer essa avaliação diagnóstica que é fundamental, porque vai avaliar o grau de aprendizado durante o projeto ‘Aula em Casa’. A partir daí, vamos traçar metas de como trabalhar as dificuldades desses alunos. Para recebê-los, nós adequamos nossa escola com todas as medidas sanitárias contra o novo coronavírus, garantindo segurança e tranquilidade aos nossos estudantes”, disse.

Impossibilitada de participar da avaliação em casa, a aluna do 6º ano, Gabriele Silva dos Santos, 12, aproveitou a escola para realizar o processo avaliativo. “Foi uma oportunidade muito boa, por parte da escola, viabilizar o acesso à internet àqueles alunos que não têm como acessar a avaliação. Senti dificuldade em algumas questões da prova, mas consegui responder tudo. Acredito ter me saído bem nas duas disciplinas, mas vou esperar pelo resultado”, informou.

Com previsão de 40 alunos do 6º ao 9º ano na avaliação presencial, a escola municipal Abílio Nery, localizada na avenida Torquato Tapajós, bairro Flores, zona Centro-Sul, também abriu suas portas. O gestor José Francisco da Silva salientou que houve todo um trabalho para atender os estudantes.

“A escola montou uma espécie de call center com alguns profissionais, como administrativos e professores. Entramos em contato com eles para participar por grupo de WhatsApp, SMS e outros meios. A partir de hoje, a gente começou a agendar os alunos e quem não tem internet realizará a avaliação no Telecentro e em outros espaços da escola que foram preparados para recebê-los. Aqueles que têm acesso à internet farão a avaliação em suas residências”, explicou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •