Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Mantida para novembro deste ano a realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), este ficará marcado como o mais injusto da história do exame. A afirmação é do deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), que integra a campanha #Adia Enem, promovida pela Frente Parlamentar Mista da Educação da Câmara.

“Na contramão da maioria dos países que têm exames neste momento, contrariando entidades e conselhos de educação, se o MEC mantiver as atuais datas, promoverá o Enem mais injusto da história. Com as incertezas em torno do avanço da pandemia, pode ser também a edição mais perigosa do principal exame de acesso ao ensino superior do país”, avalia Ramos.

Segundo ele, no Amazonas, 61,4% de estudantes não têm acesso à internet. E por essa razão, não dispõem das condições necessárias pra seguirem assistindo as aulas e se preparando para o Enem em meio â pandemia. “Me somo aos colegas da Frente Parlamentar Mista da Educação para apelar: Adia Enem!! Não deixemos que este exame nacional aprofunde ainda mais as desigualdades no acesso ao ensino superior”, disse.

A Frente Parlamentar iniciou, hoje, nas redes sociais e demais veículos a campanha #Adia Enem, seguida de uma Ação Popular, apresentada pelo presidente da frente, deputado federal Idilvan Alencar (PDT-CE), contra o Ministério da Educação. O pedido de adiamento do exame, principal forma de acesso ao ensino superior no país, considera que as datas atuais prejudicam os estudantes das escolas púbicas, fechadas por conta da pandemia.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •