Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado Marcelo Ramos (PL-AM), que presidiu a comissão da reforma da Previdência, vai sugerir ao presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que acelere a votação de processos de natureza econômica e fiscal que estão represados na Corte.

Para o parlamentar, essa ação servirá para diminuir a insegurança jurídica que impede os empresários de retomarem o nível de investimento no país. E acontecerá em um momento no qual o Congresso e o Executivo iniciam os debates em torno da reforma tributária.

Construção civil faz alerta

Um dos setores que mais geram empregos e que reagem com maior rapidez a estímulos, a indústria da construção civil está em polvorosa. A luz amarela acendeu após as indústrias que têm contratos no programa Minha Casa, Minha Vida já terem completado dois meses sem receber qualquer tipo de pagamento. O temor é que as obras sejam paralisadas e engrossem ainda mais as estatísticas de desemprego no país.

“Esse comportamento preconceituoso com o setor produtivo brasileiro joga contra a recuperação da economia. Afinal, a construção civil é aquela que gera emprego na veia e que reage rapidamente, gerando o tipo de ocupação que exige menos formação, justamente o  profissional que mais sofre com o desemprego”, disse o deputado federal, autor do PL 888, que busca incentivar a retomada do programa Minha Casa, Minha Vida e, em consequência, o incremento na geração de empregos.

Empresários de todo o Brasil, que mantém contratos do programa para a Faixa 1, de imóveis populares, se reuniram terça-feira (06/08), na sede da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, em Brasília, e levaram seus temores a Marcelo Ramos, já que é dele o projeto de Lei que visa a manter o regime especial tributário para projetos de interesse social, em valores até R$ 100 mil.

“Vamos usar todos os canais que temos na Câmara para que as pessoas entendam que não adianta comemorar a subida da Bolsa de Valores se a economia real não melhora. E que o problema com a construção civil é um problema do Brasil”, revelou o parlamentar, que vai fazer gestões para que a situação do programa Minha Casa, Minha Vida seja regularizada. (Com a veja.com)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •