Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A maior enchente, já registrada em Rondônia, vem mudando o cenário e a vida dos moradores de Porto Velho e de várias comunidades localizadas à margem do rio Madeira, além de gerar diversos problemas, dentre eles doenças causadas pelo consumo de alimentos e águas contaminados ou por animais peçonhentos. Desde fevereiro, a Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN), presta apoio às ações de Defesa Civil devido à cheia do rio que banha os estados de Rondônia e Amazonas.

Os meios operacionais empregados durante o apoio são subordinados ao Comando da Flotilha do Amazonas, ao 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral, à Delegacia Fluvial de Porto Velho e à Agência Fluvial de Humaitá, Organizações Militares da Marinha do Brasil, na Amazônia Ocidental.

Em Rondônia, estão posicionados o Navio-Patrulha Fluvial “Amapá”, que, no momento, presta assistência à região alagada de Nazaré; o Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) “Oswaldo Cruz”, atracado no Porto Organizado de Porto Velho desde o dia 27 de fevereiro; e um Helicóptero, utilizado para remoção de pessoas enfermas ou ilhadas pela enchente, em localidades de difícil acesso.

A Secretaria Estadual de Saúde realiza triagem em abrigos e encaminha, diariamente, as pessoas necessitadas de apoio médico e dentário ao Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) “Oswaldo Cruz”, para receberem atendimentos médicos, hospitalares e laboratoriais.

A Delegacia Fluvial de Porto Velho (RO) intensificou a fiscalização na cidade, visando impedir o fluxo de embarcações motorizadas nas áreas urbanas alagadas, recomendando a utilização de remos nessas áreas, anteriormente, trafegadas por carros, a fim de evitar a formação de banzeiros, que comprometem janelas e estruturas das residências inundadas pelas águas e a salvaguarda da vida humana.

A partir dessa sexta-feira, 07, o NAsH “Soares de Meirelles” e mais um Helicóptero serão deslocados para o município de Humaitá (AM), onde prestarão os mesmos apoios à população local.

Fonte Assessoria de Imprensa


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •