Presidente Jair Bolsonaro (PSL) durante inauguração de usina em Sobradinho (BA) - Alan Santos/PR
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (5) que “maus brasileiros” fazem “campanha com números mentirosos” sobre a Amazônia. A declaração foi dada em cerimônia para inaugurar a 1ª etapa da Usina Solar Flutuante, da Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco), em Sobradinho, na Bahia.

“A Amazônia é um potencial incalculável. Por isso, alguns maus brasileiros ousam fazer campanha com números mentirosos contra a nossa Amazônia. E nós temos que vencer isso e mostrar para o mundo, 1º, que o governo mudou e, depois, que nós temos responsabilidade para mantê-la nossa, sem abrir mão de explorá-la de forma sustentável”, disse.

O presidente vem sendo alvo de críticas de ambientalistas, cientistas, autoridades estrangeiras e da imprensa estrangeira pelas medidas que vem tomado em relação ao meio ambiente e pelos riscos que pode gerar para a preservação da Amazônia.

Em 21 de julho, Bolsonaro criticou a divulgação de dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) sobre desmatamento no Brasil. O instituto aponta que mais de 1.000 km² de floresta amazônica foram derrubados na 1ª quinzena deste mês, aumento de 68% em relação a julho de 2018. Para o presidente, a publicação das informações “prejudica” o país.

Na última 5ª feira (1º.ago.2019), o revista Economist, publicou 1 editorial no qual defendeu boicote a produtos brasileiros por parte dos consumidores de todo o planeta e de parceiros comerciais. O texto Relógio da Morte para a Amazônia (Deathwatch for the Amazon, em inglês), sugere que a abstenção deve ser feita caso o governo Bolsonaro insista em não preservar a Amazônia.

No dia seguinte, na sexta-feira (2), o diretor do Inpe, Ricardo Magnus Osório Galvão, disse que a fala de Bolsonaro em relação aos dados divulgados sobre desmatamento “gerou constrangimento” e que seria demitido do cargo.

Mais cedo, o ministro Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) disse, em entrevista à rádio Eldorado, que cogita escolher 1 oficial da Aeronáutica para a direção do Inpe. Segundo ele, o nome do novo diretor deve ser divulgado ainda no início desta semana e que o candidato é 1 “doutor em desmatamento”.

O regimento interno do instituto, aprovado pela Portaria 897/2008, estabelece que a escolha do diretor deve ocorrer por meio de uma lista tríplice elaborada por 1 “Comitê de Busca”. O grupo é escolhido pelo Conselho Técnico-Científico do órgão, que tem 11 membros – 6 especialistas e 5 integrantes do Inpe (incluindo o diretor, que neste caso foi exonerado). (Poder 360)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •