Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

PORTAL R7 – Mulheres que experimentam menopausa prematura têm quase três vezes mais chances de desenvolver múltiplos problemas médicos crônicos a partir dos 60 anos, em comparação com mulheres que passaram pela menopausa aos 50 ou 51 anos.

A conclusão é de um estudo australiano publicado no domingo (19), na revista Human Reproduction, um dos principais periódicos científicos desse ramo no mundo.

Foram analisadas mais de 5.100 mulheres entre 1996 e 2016. Elas eram submetidas a questionários sobre a saúde a cada três anos.

As mulheres relataram se haviam sido diagnosticadas ou tratadas por qualquer um dos 11 problemas de saúde nos três anos anteriores: diabetes, alta pressão arterial, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, artrite, osteoporose, asma, doença pulmonar obstrutiva crônica, depressão, ansiedade ou câncer de mama.

Aquelas que afirmavam ter duas ou mais dessas condições eram colocadas no grupo de multimorbidade.

Durante os 20 anos de acompanhamento, 2,3% das mulheres experimentaram menopausa prematura (com 40 anos ou menos) e 55% delas desenvolveram multimorbidade.

Comparadas às mulheres que sofreram menopausa com idade entre 50 e 51 anos, as mulheres com menopausa prematura tiveram duas vezes mais chances de desenvolver multimorbidade aos 60 anos e três vezes mais chances de desenvolver multimorbidade a partir dos 60 anos.

Como a expectativa de vida é agora superior a 80 anos para as mulheres em países de alta renda, um terço da vida de uma mulher é gasto após a menopausa. Por isso, a importância em entender os fatores que podem interferir na saúde do público feminino nessa fase da vida.

Os pesquisadores dizem acreditar que este é o primeiro estudo a avaliar a ligação entre a menopausa prematura e o desenvolvimento da multimorbidade em um grande grupo de mulheres e com acompanhamento prospectivo a longo prazo.

A pesquisadora Gita Mishra, da Universidade de Queensland, principal autora do estudo, explica a necessidade de se considerar a menopausa precoce como fator de risco para o desenvolvimento de outros problemas de saúde.

“Nossas descobertas indicam que a multimorbidade é comum em mulheres de meia idade e de idade avançada. A menopausa prematura está associada a um risco aumentado de desenvolver multimorbidade, mesmo após o ajuste para condições crônicas anteriores e para possíveis fatores que poderiam afetar os resultados, como se as mulheres tiveram ou não filhos, quantas, educação, índice de massa corporal, tabagismo e atividade física.”

O estudo, no entanto, não mostra que a menopausa prematura é a única responsável pelas doenças, apenas que existe uma associação. Uma limitação do estudo é que os pesquisadores confiaram em informações declaradas pelas mulheres.

Os pesquisadores estão agora investigando quais fatores de risco podem ser direcionados para prevenir ou retardar o desenvolvimento de problemas de saúde em mulheres que sofrem de menopausa prematura.

Isso inclui melhorar a dieta e o exercício, não fumar, controlar o peso corporal, participar de atividades de estimulação mental e triagem regular de câncer e outros problemas médicos relacionados ao sistema reprodutivo.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •