Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os números que apontam para o envelhecimento da população mundial nas próximas décadas elevam a preocupação com a qualidade de vida da população mais envelhecida e conhecedora das doenças que são próprias da idade.

Ligado ao grupo de demências, o Alzheimer é uma das patologias que mais preocupam este grupo e acomete hoje cerca de 1,2 milhão de pessoas no Brasil, segundo o Ministério da Saúde.

Para diminuir o estigma sobre a doença e aumentar a conscientização de idosos e de suas famílias, o mês de setembro é dedicado às campanhas de conscientização do Alzheimer. No Brasil o Dia Mundial do Alzheimer foi instituído por lei somente em 2008. 
Considerando este complexo contexto e sua responsabilidade social, a Rede SUPERA realiza de 02 a 30 de setembro, o evento online “Despertando a Sociedade para a Saúde do Cérebro”, totalmente gratuito e protagonizado por neurologistas, neuropsicólogos, gerontólogos, e gerontologistas, que irão tratar de assuntos que vão desde prevenção, passando por tratamentos até formas de lidar com a doença. 
O evento foi realizado pela primeira vez ainda em 2019 no Teatro Gazeta em São Paulo. Na ocasião mais de 700 pessoas assistiram as palestras presencialmente. Neste ano atípico o evento foi remodelado, o que tem um caráter positivo, segundo Luiz Moraes, Diretor do SUPERA Online e organizador da série de transmissões. 
Assim como todo o mundo, nós também fomos surpreendidos com este novo contexto social. No entanto, como as relações estão sendo revistas, este formato de evento se apresentou bastante positivo porque vai possibilitar que mais pessoas tenham acesso à informação vinda de alguns dos profissionais mais gabaritados neste assunto no país, o que é bastante gratificante para a Rede SUPERA”, pontuou.
As transmissões acontecerão sempre às quartas e sextas-feiras, e a live de abertura será no dia 2 de setembro, às 19h30. Todas as transmissões serão ao vivo e poderão ser assistidas na página do Facebook do Método SUPERA e em seu canal do Youtube.

Facebook: facebook.com/metodosupera

Programação:
02/09 – 19:30
Entendendo a Doença de Alzheimer em seus aspectos, seu tratamento e os custos relacionados aos cuidados nas demências”, com Profa. Dra. Jerusa Smid e Profa. Dra. Ceres Ferreti.
04/09 – 19:30
O afeto e o cuidado humanizado como diferenciais no tratamento da Doença de Alzheimer, relato de experiência das atrizes Nicette Bruno e Beth Goulart”, com Profa. Dra. Thais Bento Lima-Silva e atrizes Beth Goulart e Nicette Bruno.
09/09 – 19:30
A musicalidade como estratégia para o tratamento da Doença de Alzheimer e a experiência de projetos do Japão”, com Profa. Dra. Rosa Yuka Sato Chubaci.
11/09 – 19:30
“Doença de Alzheimer, convivência familiar e conjugal: benefícios da musicoterapia”, com Profa. Dra. Deusivânia Falcão e Prof. Ms. Mauro Anastácio
16/09 – 19:30
Como prevenir fatores de risco no desenvolvimento da doença de Alzheimer?”, com Prof. Dr. Ricardo Nitrini e Profa. Dra. Sônia Maria Brucki
18/09 – 19:30
A estimulação cognitiva como intervenção de neuroproteção”, com Profa. Dra. Thais Bento Lima-Silva e Profa. Ms. Eva Bettine de Almeida
23/09 -19:30
Cérebro saudável: a reserva cognitiva e o estilo de vida durante o desenvolvimento”, com Profa. Dra. Mônica Sanches Yassuda e Prof. Dr. Henrique Salmazo-Silva
25/09 – 19:30
Cuidados no fim da vida com pacientes diagnosticados com demência”, com Profa. Dra. Beatriz Gutierrez e Prof. Dr. Leonel Tadao Takada
30/09 – 19:30
Suporte ao cuidador de pacientes com Doença de Alzheimer e importância das Associações”, com Dra. Carmen Ponce e Dr. Paulo Henrique F. Bertolucci.
Fases do Alzheimer: 
Na fase leve, podem ocorrer alterações como perda de memória recente, dificuldade para encontrar palavras, desorientação no tempo e no espaço, dificuldade para tomar decisões, perda de iniciativa e de motivação, sinais de depressão, agressividade, diminuição do interesse por atividades e passatempos.
Na fase moderada, são comuns dificuldades mais evidentes com atividades do dia a dia, com prejuízo de memória, como esquecimento de fatos importantes e de nomes de pessoas próximas; incapacidade de viver sozinho, incapacidade de cozinhar e de cuidar da casa, de fazer compras; dependência importante de outras pessoas, necessidade de ajuda com a higiene pessoal e autocuidados; maior dificuldade para falar e se expressar com clareza; alterações de comportamento (agressividade, irritabilidade, inquietação); ideias sem sentido (desconfiança, ciúmes) e alucinações (ver pessoas, ouvir vozes de pessoas que não estão presentes).
Na fase grave, observa-se prejuízo gravíssimo da memória, com incapacidade de registro de dados e muita dificuldade na recuperação de informações antigas como, reconhecimento de parentes, amigos, locais conhecidos; dificuldade para alimentar-se associada a prejuízos na deglutição; dificuldade de entender o que se passa a sua volta; dificuldade de orientar-se dentro de casa. Pode haver incontinência urinária e fecal e intensificação de comportamento inadequado. Há tendência de prejuízo motor, que interfere na capacidade de locomoção, sendo necessário auxílio para caminhar. Posteriormente, o paciente pode necessitar de cadeira de rodas ou ficar acamado.
Com informações do Ministério da Saúde.  

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •