Foto: Isac Nóbrega
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse nesta sexta-feira (28/8) que a educação pós-pandemia vai sofrer influência do ensino a distância. No entanto, o titular do MEC defende que as avaliações sejam presenciais porque muitos brasileiros tendem a “colar”. Com informações de Metrópoles.

“Eu acho que esse é um assunto que a gente precisava debater [a questão da avaliação à distância]. Com todo o respeito que tenho aos brasileiros, eu sou brasileiro, mas eu não creio que todos tenham essa disciplina de fazer uma prova sozinho, em casa, com todas as condições pra poder, eventualmente, em um momento de necessidade, até burlar a questão do cuidado, colar, como diz a moçada”, falou.

Ribeiro participou na manhã desta sexta-feira de evento virtual da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes).

Questionado sobre o retorno às aulas presenciais, o ministro disse que ainda não há resposta para essa questão nem no Brasil nem no exterior. Ribeiro destacou que o Brasil é um país continental e por isso não há como “uniformizar” a retomada das atividades de ensino.

O ministro da Educação também afirmou que não cabe ao MEC essa decisão, mas sim aos prefeitos e governadores. A pasta poderia contribuir com propostas, mas não tem o poder de determinar essas questões.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •