Foto: Valter Leandro
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Desde dezembro do ano passado em vigor, a Lei 13.770, que assegura às mulheres com câncer de mama o direito à cirurgia plástica reconstrutiva nos dois seios gratuitamente, ainda que a doença se manifeste em apenas um deles, é defendida pela vereadora Mirtes Salles (PL). A Presidente da Comissão de Defesa e Proteção dos Direitos da Mulher, Mirtes Salles, diz que estará vigilante quanto ao cumprimento da Lei.

A vereadora Mirtes Salles lembra que, por ano, cerca de 60 mil casos de câncer de mama são diagnosticados no Brasil e defendeu e apoiou que a lei irá garantir a simetria entre os seios.

“Antes só era possível realizar o procedimento em apenas uma mama, deixando a mulher com a autoestima baixa. Essa lei garantirá o direito a essas mulheres de não ficarem lembrando cada vez que vai tomar banho, cada vez que se olha no espelho. Dará dignidade, saúde psicológica e saúde física a elas. Espero que agora o SUS coloque em prática e respeite esse direito. Estarei vigilante”, afirmou.

A lei ainda determina que a reconstrução seja feita, quando houver condições técnicas, na mesma cirurgia de retirada do seio com tumor. Se não for possível, a paciente será encaminhada para acompanhamento e terá assegurada a cirurgia em momento posterior. Estabelece também que as reconstruções das mamas, auréolas e mamilos devem ser feitas pelo Sistema Único de Saúde – SUS e pelos planos de saúde.

A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) alerta que em 70% dos casos de câncer de mama diagnosticados no país a mulher passa por uma mastectomia (remoção total da mama). As principais vítimas são mulheres de 50 a 69 anos.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •