Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Com a finalidade de apresentar ferramentas atualizadas sobre a saúde do trabalhador, com foco na prevenção de doenças e acidentes no trabalho, teve início na manhã de segunda-feira, 30/9, a Oficina sobre o Modelo de Análise de Prevenção de Acidentes (Mapa). Promovido pela Prefeitura de Manausc, por meio do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (Cerest/Manaus), o evento acontece na Escola do Legislativo Senador José Lindoso, no prédio anexo à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), situada na avenida Mário Ypiranga Monteiro, Parque 10, zona Centro-Sul.

Coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a oficina tem como objetivo atualizar os participantes sobre a temática através de uma nova metodologia de análise de acidentes.

A programação acontecerá até o próximo sábado, 5/10, período no qual será abordado o tema “Desconstruindo a abordagem tradicional na análise e vigilância de acidentes de trabalho”, que será ministrado pelo engenheiro de Segurança, Rodolfo Vilela, professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP).

O psicólogo Paulo José Fonseca, diretor do Cerest/Manaus, explica que a proposta da oficina é capacitar os profissionais sobre a vigilância e segurança no trabalho. “É um tema de extrema relevância, uma vez que as análises dos acidentes e doenças no trabalho devem ser feitas de forma holística”, aponta.

O curso terá duração de 60 horas, com 30 participantes de diversas organizações municipais, estaduais e federais, universidades e sindicatos. A programação prevê aulas práticas e teóricas, culminando com uma inspeção em um estaleiro fluvial no último dia da oficina.

A assistente social Patrícia Fontineli, servidora do Distrito de Saúde Rural (Disar), disse que o curso vai auxiliar na discussão sobre a prevenção de acidentes no trabalho, focando na qualidade e condições para que haja qualidade de vida nas atividades laborais. “Acredito que este curso nos ajude a traçar um planejamento que coloque no centro da discussão o bem-estar do trabalhador, amparando-o e assistindo-o quando, como por exemplo, ele adoecer”, sugere.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •