Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As péssimas condições de trabalho a que estão submetidos equipes de garis empenhados na coleta de lixo de Presidente Figueiredo, podem chegar ao Ministério Público por iniciativa dos moradores do município.

Várias fotografias e vídeos atestam não só o excessivo esforço dos trabalhadores para fazer chegar o lixo na caçamba coletora mas, também, o perigo a que estão expostos por falta de segurança e de equipamento apropriado para o cumprimento da tarefa.

Insalubre na sua própria concepção, os garis aparecem dentro da caçamba com as mãos e braços totalmente desprotegidos.

Na força bruta, homens são transformados em guindastes para arremessar tonéis de 200 litros  para o interior da caçamba. Algo absurdo para os dias de hoje e para a realidade orçamentária financeira de Presidente Figueiredo, um dos municípios mais privilegiados em arrecadação ou transferência de recursos dos estado.

Mais do que um problema de saúde pública e de segurança no trabalho, a coleta de lixo no município vizinho de Manaus é uma vergonha, uma indignidade e falta de respeito contra a cidadania e ao bem-estar do trabalhador.

Conselho Tutela sem Energia

As aberrações administrativas em Presidente Figueiredo não atingem apenas a coleta do lixo. O problema é crônico, epidêmico, contagioso e de falta de vergonha e compromisso público.

A sede do Conselho Tutelar, por exemplo, está sem energia por falta de pagamento. E sem energia, está de portas fechadas. Um absurdo só comparado às práticas de assédio praticadas por um amiguinho secretário do prefeito.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •