Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cerca de 50 moradores da Rede de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Tupé participam, neste sábado, 19, do curso “Manipulação de Alimentos”, uma ação do Programa de Capacitação para Permissionários e Comunitários, promovido pela Prefeitura de Manaus. O programa visa qualificar o atendimento ao turista que visita a capital amazonense. A região do Tupé é uma das mais visitadas, exigindo qualidade no atendimento ao turista e nos serviços oferecidos.

O programa, que já está no terceiro módulo, é promovido pela Escola de Serviço Público Municipal (Espi), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad) e tem a parceria da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

A diretora geral da Espi, Luiza Bessa Rebelo, explica que, no caso do Tupé, o programa também visa impulsionar o desenvolvimento das potencialidades do local. O curso será ministrado pela nutricionista Paula Lira. As aulas acontecerão neste sábado, 19, e domingo, 20, e também nos dias 26 e 27, em dois turnos – das 9h às 12h e de 14h às 16h.

Durante o curso, Paula Lira pretende demonstrar a correta manipulação dos alimentos e bebidas, de forma a evitar que os produtos comercializados sejam contaminados. Em muitos casos, diz ela, as orientações deverão levar a uma mudança de hábito, que se traduza no melhor atendimento ao turista.

As aulas, com carga horária de 20h, serão na unidade de conservação municipal administrada pela Prefeitura de Manaus na RDS.

Ações continuam após a Copa

A abertura do programa, realizada no último dia 17 de maio, contou com a participação da secretária municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Kátia Schweickardt, e os presidentes da Espi, Luiza Bessa, e da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula.

A iniciativa fez parte do planejamento das ações de preparação da cidade de Manaus para a Copa do Mundo 2014, e agora terá continuidade como legado pós-Copa, permitindo o fomento à atividade turística na área da reserva, formada por seis comunidades (Julião, São João do Tupé, Livramento, Tatu, Colônia Central e Agrovila), na região do Baixo Rio Negro.

“Agregado ao apelo ambiental da Amazônia, junto a constatação da Fifa de que Manaus foi uma das sedes da Copa 2014 mais organizadas, a expectativa de crescimento turístico nos leva a investir na preparação da mão-de-obra para o atendimento a esse público, que deverá vir para cá”, explica a secretária Kátia Schweickardt.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •