Heloísa (no detalhe) foi morta há 5 meses e Michael Saboia (no detalhe) é o principal suspeito, mas continua foragido (Montagem Fato Amazônico)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A morte da estudante de técnico em enfermagem Heloísa Medeiros da Silva, de 17 anos, completou na última sexta-feira (15) cinco meses, mas o principal suspeito do crime identificado como Michael Saboia de Souza, de 19 anos, continua foragido. De acordo com a família, ele tem mandado de prisão, mas a polícia não conseguiu até hoje prendê-lo pelo bárbaro crime, com requintes de crueldade ocorrido em dezembro do ano passado.

“Estamos fazendo o papel da polícia. Nós estamos correndo atrás e toda denúncia que chega vamos atrás”, disse um tio da vítima, que para evitar represália, não terá o nome divulgado.

“Graças a Deus o caso Kimberly foi resolvido, mas graças a polícia de Roraima, se dependesse da polícia do Amazonas o acusado do crime continuaria foragido“, acrescentou o tio, afirmando que quando a família vai até a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros, a resposta é sempre a mesma, “estamos investigando”.

“As pessoas ligam e nós vamos atrás. Chegamos a ir atrás dele no Rio Preto da Eva”, acrescentou, parabenizando o trabalho da polícia de Roraima que em poucos dias prendeu o assassino da Miss Kimberly Mota.

O tio disse que toda família lembra que Heloísa saiu de casa no bairro da União, dia 12 de dezembro de 2019 para ir a um aniversário de um amigo, no Gargalo.

“Ela não tinha nada com o Michael, mas ele sempre andou atrás dela”, informou, afirmando que a polícia tem em mãos filmagens do Gargalo que mostram Heloísa saindo do Gargalo por volta de 4h15 da manhã em companhia de Michael.

De acordo com o tio, Heloísa saiu do bar e foi com Michael para a casa da avó dele na Miranda Leão. “Quando o dia amanheceu por volta de 6h, a mãe da Heloísa começou a ligar ao telefone dela, mas só chamava, mas ela não atendeu. Quando ela voltou a ligar só deu fora da área de serviço”.

Entenda o Crime

O corpo de Heloísa Medeiros foi encontrada na madrugada do dia 15 de dezembro de 2019, com sinais de estrangulamento, em um casarão na rua Miranda Leão, bairro Centro, Zona Sul de Manaus.

A vítima estava seminua e com sinais de estrangulamento e indícios de tortura: a adolescente teve as unhas arrancadas e os cabelos cortados. Segundo o laudo o IML, ela foi morta por lesão no pescoço; a cervical quebrou.

Na ocasião, uma equipe da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) foi acionada pelo tio de Michael, que informou às autoridades que o indivíduo havia assassinado uma adolescente e teria abandonado o corpo naquele imóvel.

“O tio do jovem relatou que o infrator ligou para ele e pediu para ir até à residência da avó dele, pois estaria supostamente precisando conversar com ele sobre um assunto urgente. No entanto, ao chegar na residência, o tio de Michael se deparou com o corpo da vítima com sinais de estrangulamento, coberto com um lençol azul, momento em que decidiu comunicar o fato às autoridades policiais”, explicou o delegado Martins.

A vítima desapareceu no dia 12 de dezembro do ano passado, quando deixou uma casa noturna no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus, acompanhada de Michael Saboia.

Um dia após o encontro do cadáver, a PC-AM divulgou a imagem de Michael como principal suspeito do crime.

Resposta da Polícia Civil

O Fato Amazônico entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil do Amazonas e o delegado Paulo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), afirma que o autor do homicídio continua foragido. O mandado de prisão em nome dele já foi expedido e as equipes estão em diligências para localizá-lo e cumprir o referido mandado.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •