Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) encontrou indícios de supostas contratações de funcionários fantasmas no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) desde o primeiro mandato, em 2001. As informações são do G1.

Segundo o relatório, “há indícios, ao menos em tese, do crime de peculato na contratação de servidores de Carlos Bolsonaro”. A Subprocuradora-Geral de Justiça acatou o pedido da promotoria e abriu uma investigação criminal.

Entre os investigados, há funcionários que não apareciam na Câmara durante meses. Alguns sequer tinham o crachá de servidor do local. Outros estudavam ou tinham emprego em local diferente enquanto estavam nomeados no gabinete.

O MPRJ destacou a contratação “de servidores com idade elevada, e que moram em outros municípios e até em outros estados, distantes de onde é exercido o mandato do vereador”. Por isso, na visão dos promotores, seria impraticável o cumprimento das funções.

Em nota, o advogado de Carlos Bolsonaro, Antônio Carlos Fonseca, afirmou que todas as informações necessárias para comprovar as tarefas desempenhadas pelos funcionários estão sendo apresentadas ao MP. “O parlamentar está à disposição e empenhado em esclarecer os fatos”, disse. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •