Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O secretário de Comunicação de Jair Bolsonaro, Fábio Wajngarten, é suspeito de contratar clientes de sua empresa particular para realizar ações da Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

A investigação visa apurar corrupção passiva e peculato. Caso sejam comprovadas as práticas, Wajngarten pode ser condenado a penas de 2 a 12 anos de prisão, além de multa.

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, “Wajngarten é sócio majoritário de uma empresa que recebe dinheiro de emissoras de TV (entre elas Record e Band) e de agências de publicidade contratadas pela própria Secom, ministérios e estatais do governo Jair Bolsonaro”.

Na gestão de Wajngarten, essas empresas passaram a receber mais verbas publicitárias da Secom.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •