Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O município de Novo Airão (a 115 quilômetros de Manaus) tem 120 dias para reativar o Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (Savvis) e garantir atendimento humanizado para as vítimas de violência sexual. A recomendação é resultado de ação do projeto Ministério Público Federal que recentemente levou ao município o projeto MPF na Comunidade, ocasião em que foram expedidas 18 recomendações relacionadas a situações precárias no município.

Durante visita do MPF ao município, uma inspeção na Unidade Hospitalar constatou que a sala do Savvis está desativada e que não existem profissionais com treinamento adequado no estabelecimento para atendimento das vítimas de violência. No momento da visita, o MPF questionou a Prefeitura de Novo Airão quanto à situação do município e não obteve resposta imediata.

A ausência de atendimento adequado descumpre a Lei nº 12.845/13, que dispõe sobre o atendimento obrigatório e integral de pessoas em situação de violência sexual, e o Decreto nº 7.958/13, que estabelece diretrizes para o atendimento às vítimas de violência sexual pelos profissionais de segurança pública e da rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com a recomendação, a prefeitura deve adotar, em até 120 dias, as providências necessárias para garantir o tratamento humanizado das vítimas de violência sexual, por meio da realização de treinamento para implantação do Savvis, com reativação da sala destinada a esse fim. O não atendimento da recomendação qualifica a inexecução culposa ou dolosa da obrigação e responsabiliza os dirigentes do município por conduta comissiva ou omissiva, estando suscetíveis às medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •