Fonte Boa
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os municípios de Santo Antônio do Içá, Tonantins, Fonte Boa, Juruá e São Paulo de Olivença, no Amazonas, foram escolhidos para integrar a pesquisa “Inquérito de Prevalência para Eliminação do Tracoma como Problema de Saúde Pública no Brasil”, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O estudo consistirá no mapeamento da situação da doença nessas localidades e contará com apoio da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e das secretarias municipais para o encaminhamento de pacientes ao tratamento.

Conforme o projeto, apresentado na última segunda-feira (08/07) ao secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, na sede da secretaria, além do mapeamento da doença, o estudo vai proporcionar a realização de exames para diagnóstico e tratamento do tracoma. De acordo com Tobias, o projeto será apresentado aos gestores de saúde dos municípios durante a próxima reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), em 29 de julho, para, em seguida, começar nos municípios.

A medicação para o tratamento será fornecida pelo Ministério da Saúde (MS). No caso de diagnóstico clínico, o tratamento será realizado com azitromicina conforme preconizado pelas normas do MS. Serão tratados todos os moradores dos domicílios onde forem identificados casos de tracoma inflamatório folicular e intenso (TF/TI). Todos os casos identificados de triquíase tracomatosa (TT) serão notificados às secretarias estaduais e municipais de Saúde, que serão responsáveis por encaminhá-los às unidades de referência oftalmológica para avaliação quanto à indicação de tratamento cirúrgico.

Saiba mais – O tracoma é uma doença causada pela bactéria intracelular Chlamydia trachomatis, sorotipos A, B, Ba e C. É  uma afecção inflamatória ocular crônica, que, em decorrência de infecções repetidas, produz cicatrizes na conjuntiva palpebral, podendo levar à formação de entrópio (pálpebra com a margem virada para dentro do olho) e triquíase (cílios invertidos tocando o olho).

As lesões resultantes deste atrito podem levar a alterações na córnea, causando cegueira. É a principal causa de cegueira de origem infecciosa no mundo e responsável por prejuízos visuais em 1,9 milhões de pessoas, das quais 450 mil apresentam cegueira irreversível.

De acordo com o pesquisador da Fiocruz, Paulo Roberto Borges de Souza Jr., a seleção dos municípios deu-se pelos indicadores sociais e também foi baseada em dados anteriores que apresentaram prevalência da doença – municípios com risco epidemiológico e de risco social. São nove estados participando.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabeleceu o ano 2020 para alcançar a meta de eliminação global do tracoma como problema de saúde pública.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •