Delegada Carla Biaggi
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta sexta-feira (05/06), Dia Mundial do Meio Ambiente, a Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), coordenada pela delegada Carla Biaggi, apresenta dados importantes no que diz respeito ao crescimento no número de denúncias envolvendo desmatamento, maus-tratos a animais, transporte ilegal de madeira e pesca proibida. “As pessoas passaram a denunciar mais, pois tiveram acesso à informação de que existe uma delegacia especializada”, reforça ela.

Conforme dados repassados pela delegada, nos cinco primeiros meses de 2019 (janeiro a maio), os números de denúncias foram: 139 de maus-tratos a animais, 35 de desmatamento, cinco de transporte ilegal de madeira e 10 de pesca proibida. Já nos cinco primeiros meses de 2020 (janeiro-maio), as denúncias tiveram um crescimento expressivo, sendo: 205 de maus tratos a animais, 38 de desmatamento, 18 de transporte ilegal de madeira e 12 de pesca proibida.

Ainda nesta semana, a Dema uniu esforços a outras instituições e deflagrou a operação “Flora Amazônica”, que culminou na desarticulação de uma organização que desmatava e vendia madeira ilegalmente. “Sempre estivemos atuantes frente a operações relacionadas ao meio ambiente. Além desta, também unimos esforços nas operações ‘Verde Brasil 2020’ e ‘Verde Brasil 2019’, assim como nas ações da Central Integrada de Fiscalização (CIF), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam)”, comenta.

Conforme Carla, a Dema combate diariamente todos os tipos de crimes ambientais, seja por meio de procedimentos criminais instaurados, investigações, diligências e operações, em sua maioria, integrada com outros órgãos ambientais, como o Batalhão Ambiental da Polícia Militar, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Ipaam e Sema.

“Nosso papel é apurar os crimes ambientais e a sua autoria, por meio da investigação policial instrumentalizada pelo Inquérito Policial ou pelo Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), que é encaminhado à Vara do Meio Ambiente, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM)”, detalha ela.

Crimes e ações – Carla ressalta que, no Amazonas, os crimes ambientais mais recorrentes na delegacia são: maus-tratos contra animais, poluição, desmatamento, pesca e caça ilegal e transporte de madeira. Para combater o crescimento desses atos criminosos, a Especializada promove ações de conscientização e repressão.

“A Dema possui o papel repressivo dos crimes ambientais, o que por si só já tem o caráter pedagógico, mas também promove trabalho de orientação com eventos e palestras de educação ambiental, voltadas à conscientização da coletividade acerca das práticas de preservação e sustentabilidade”.

Interior – A Especializada possui em sua circunscrição todo o Amazonas, sendo que nos municípios do interior conta com o trabalho integrado dos policiais civis e militares que estão lotados no respectivo município. “É muito importante que o Estado tenha políticas voltadas ao meio ambiente, para que sejam traçadas metas específicas, não somente para o combate aos crimes, mas à prevenção, planejamento e conscientização da sociedade”, finaliza.

Para fazer denúncias à Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), basta ligar no 181, o disque-denúncia da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), enviar mensagem via WhatsApp no (92) 99412-4431 ou acessar o site da Delegacia Interativa, no endereço https://www.delegaciainterativa.am.gov.br.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •