Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A escolha para o novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas será por merecimento. Caberá ao governador José Melo (PROS), escolher quem vai ocupar a vaga do conselheiro Lúcio Albuquerque, que se aposentou em em sessão especial nesta terça-feira no TCE. A final da reunião o conselheiro e presidente Josué Filho, encaminhou ao paláco do governo a lista tríplice com os nomes dos auditores do órgão, para escolha do novo membro do colegiado, que vai substituir o conselheiro aposentado.

Os nomes da lista — YaraLins, Mário Filho e Alípio Reis Firmo Filho — foram encaminhados por ordem de antiguidade. Caberá ao governador escolher o novo conselheiro, que também presidirá a Segunda Câmara do TCE e ainda assumirá a relatoria das contas da Copa, conforme decisão do colegiado tomada em sessão administrativa.

Na mesma sessão administrativa, realizada após a sessão especial, o colegiado elegeu os conselheiros Júlio Cabral e Júlio Pinheiro, respectivamente, como os novos corregedor e ouvidor do TCE. Lúcio Albuquerque era o ex-corregedor anterior.

Segundo explicação do conselheiro-presidente, Josué Filho, os processos de Lúcio Albuquerque serão distribuídos aos conselheiros e auditores.

Concurso para novo auditor

Com a escolha do novo conselheiro para o TCE entre os três auditores, uma das vagas ficará em aberto. Ao responder à imprensa, o conselheiro Josué Filho afirmou que será aberto um concurso público para o preenchimento da vaga, com data a ser divulgada. Segundo ele, há a possibilidade de o certame ser realizado para duas vagas, aumentando, assim, o número de auditores de contas de três para quatro.

Solenidade

Sob aplausos do colegiado e de servidores, o conselheiro decano Lúcio Albuquerque aposentou-se do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas, após 37 anos de serviços prestados à corte de Contas. Na solenidade, após aprovarem o pedido de aposentaria, os conselheiros entregaram o colar do mérito de Contas ao conselheiro.

Oriundo da auditoria do TCE, o agora conselheiro aposentado Lúcio Albuquerque ingressou nos quadros da corte de Contas, no dia 4 de março de 1977. Em 1998, ele ingressou no colegiado. Antes de se tornar presidente da corte no biênio 2002-2023, ele foi corregedor e ouvidor.

Durante a sessão especial, todos os conselheiros e auditores prestaram homenagens ao decano, que se aposentou por tempo de serviço. O conselheiro Raimundo Michiles, que ingressou no TCE no mesmo ano em que Lúcio Albuquerque, relembrou o tempo em que começaram a trabalhar na corte de contas e destacou a qualidade profissional do conselheiro.

Ao agradecer pelos serviços prestados ao TCE e pela amizade, o conselheiro-presidente, Josué Filho, ressaltou que Lúcio Albuquerque, pela experiência e capacidade profissional, é considerado o conselheiro dos conselheiros. O conselheiro Érico Desterro também ressaltou a qualidade profissional do decano. O auditor Mário Filho afirmou que Albuquerque abriu as portas do Tribunal para ele e o orientou em várias ocasiões.

Depois de ouvir as homenagens, o conselheiro Lúcio Albuquerque agradeceu aos conselheiros, pediu desculpa por algum desentendimento ao logo dos anos e afirmou que deixava o TCE com a mesma alegria que entrou em 1977. Segundo ele, o sucesso profissional dele era resultado do ótimo trabalho, competência e parceria de sua assessoria. “Sempre tive ótimos assessores. Agradeço a cada um pelo empenho no trabalho”, elogiou, sendo aplaudidos após citaro nome de cada um dos assessores.

A sessão de despedida de Lúcio Albuquerque foi concorrida e lotou o plenário do órgão. Além de conselheiros, auditores e servidores, participaram da sessão sete procuradores de contas, entre eles o procurador-geral Carlos Alberto Almeida. O procurador-geral do Ministério Público do Estado do Amazonas, Francisco Cruz, também compareceu à sessão.

O nome do substituto de Lúcio Albuquerque será conhecido nos próximos dias. Nesta terça-feira, o conselheiro-presidente, Josué Filho, encaminhou ao governador José Melo a lista tríplice com os nomes de Yara Lins, Mário Filho e Alípio Reis Firmo Filho, para a escolha do novo conselheiro.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •