Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O número de homicídios na capital amazonense reduziu 27% no primeiro semestre de 2019 em relação a igual período de 2017, ano em que estão baseados os dados que embasaram o “Atlas da Violência dos Municípios Brasileiros 2019”, estudo divulgado ontem (05/08) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), do Governo Federal.

Segundo dados do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) do Amazonas, o ano de 2017 registrou o pico de homicídios em Manaus no primeiro semestre do ano, com 496 crimes. Em 2019, de janeiro a junho, a capital amazonense registrou 362 homicídios, 134 a menos em relação ao ano de estudo do Ipea.

Ainda de acordo com dados do Sisp, o número de homicídios teve uma redução de 16,9% nos seis primeiros meses, em Manaus. A quantidade é a menor para o período desde 2014, que registrou 401 homicídios. De 2014 para cá, apenas o ano de 2016 registrou menos de 400 mortes no primeiro semestre, com 396 registros.

Essa redução no número de mortes violentas esse ano é resultado do reforço das operações integradas e ações investigativas e repressivas das Polícias Civil e Militar. Ao longo das 28 grandes operações integradas realizadas em 2019, mais de 830 pessoas foram presas, incluindo homicidas e suspeitos de envolvimento em tentativas de homicídios. Em torno de 80% das mortes violentas em Manaus têm características de execução, parte delas relacionada justamente ao tráfico de entorpecentes.

Estudo – O Ipea analisou 310 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes em 2017 e fez um recorte regionalizado da violência no país. “O Atlas da Violência – Retrato dos Municípios Brasileiros 2019”, elaborado em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostra que houve um crescimento das mortes nas regiões Norte e Nordeste influenciado, principalmente, pela guerra do narcotráfico e a rota do fluxo das drogas.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •