Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Com olhinhos atentos e sorriso no rosto, cerca de 50 crianças encheram o hall do Teatro Amazonas, na manhã de ontem (05/05), para assistir ao projeto “Ópera Mirim”, um dos eventos do 22º Festival Amazonas de Ópera (FAO). O grupo “Pequeno Teatro do Mundo” apresentou teatro de marionetes com o espetáculo “L’enfant et les Sortilèges” (“O Menino e os Sortilégios”) que encantou todos os presentes. As próximas apresentações no hall do teatro acontecem nos dias 12 e 26 de maio.
 
O evento é uma realização do Governo do Amazonas, através da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio master do Bradesco, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura, o 22º FAO segue com apresentações de ópera, recitais e concertos até 30 de maio.
 
Ariana Lima levou os três filhos – Ana, 6, Antônio, 5, e Bento, 1 – para a apresentação. De acordo com ela, eventos como esse incentivam o gosto pela cultura. “Trouxe meus filhos porque acho super importante trazê-los para o teatro e colocá-los em contato com a cultura. Sempre que tem peça infantil eu os trago, para que tenham novas experiências, conheçam novas histórias e o ambiente”, disse, acrescentando que até para ela foi uma experiência diferente. “Foi a primeira vez que vi uma ópera com marionetes. Gostei bastante, achei bem interessante. É bem bonito!”, completou.
 
A administradora Renata Levy estava com o pequeno Aaron, de 1 ano e 8 meses, e ambos estavam maravilhados com o espetáculo. Para ela, a iniciativa da SEC em promover a “Ópera Mirim” é ótima, pois dá opções de entretenimento para as crianças. “A gente até acha alguns espetáculos, mas geralmente são muito caros. E por mais que seja apresentado em uma língua estrangeira, eles entendem o que está acontecendo no palco porque a informação é visual”, apontou.
 
Primeira infância – Em 45 minutos de espetáculo, o público presente pode acompanhar a história do garoto que enfrenta a revolta de bichos e objetos, por sua preguiça diante dos deveres de casa. O formato, explica a diretora executiva do FAO, Flávia Furtado, foi pensado justamente para atender ao público infantil.
 
“Faz alguns anos que nós nos preocupamos com o público infantil. Começamos com ‘Onde vivem os monstros’, programada pelo maestro Fernando Malheiro, e foi o maior sucesso. A partir daí, começamos a pensar em um projeto especificamente para crianças. Após muita pesquisa, decidimos por um projeto pequeno e que atingisse o público ainda da primeira infância, até para as crianças terem o primeiro contato com a ópera e começarem a tomar gosto. Por isso, pensamos no formato de marionete, em um ambiente mais acolhedor, onde a criança senta no chão e curte aquele momento”, observou.
 
De acordo com Flávia, a Ópera Mirim vem sendo tão bem recebida por pais e crianças que a ideia agora é ter pelo menos um título por ano. “Queremos que a Ópera Mirim aconteça todos os anos, pois a experiência tem sido muito emocionante. São experiências de vida. As apresentações nos hospitais, por exemplo, têm sido muito emocionantes e a recepção tem sido bem tocante”, completou.
 
O espetáculo “Ópera Mirim” ainda será apresentado nos municípios Santa Isabel do Rio Negro (17/5) e Benjamin Constant (18/5). E em Manaus, também terá no Centro de Educação em Tempo Integral (Ceti) Zilda Arns (29/5) e no hall do Teatro Amazonas (12 e 26/5).
Sobre o 22º FAO – Em 2019, o Festival Amazonas de Ópera (FAO) celebra o centenário de nascimento de Claudio Santoro com a apresentação da ópera “Alma”, do compositor e maestro amazonense. Também estão na programação “Ernani”, de Giuseppe Verdi; “Maria Stuarda”, de Gaetano Donizetti; “Tosca”, de Giacomo Puccini; e “Mater Dolorosa”, baseada na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi.
 
Os ingressos para o FAO 2019 já estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e pelo site Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com/teatroamazonas), com valores que vão de R$ 2,50 a R$ 60.
 
A programação do festival abrange ainda o Recital Bradesco, com canções compostas por Claudio Santoro; o encontro “Os Teatros de Ópera e a Economia Criativa na América Latina”, voltado para apresentar dados e casos de sucesso sobre a Indústria da Ópera na América Latina; o concerto do Dia das Mães; e Mulheres da Ópera.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •