Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na ação fruto de investigação do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Polícia Civil que resultou na prisão de nove pessoas ontem (14), na operação “Cidade das Trevas”, um fato chamou a atenção dos policiais, a apreensão de dezenas de fichas de filiação do Partido Republicano da Ordem Social (Pros), que foi já foi presido pelo ex-governador José Melo, cassado e preso na operação Maus Caminhos da Polícia Federal.

As fichas do Pros foram apreendidas na casa de Reginaldo Soriano, o “Baiaco”, apontado como líder de grupo criminoso responsável pelo tráfico de drogas, venda ilegal de terrenos e formação de milícia nas invasões Cidade das Luzes e no Burutizal.

Baiaco é ligado à organização criminosa Família do Norte (FDN), comandada por José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto”, preso em uma penitenciária federal.

A apreensão das fichas do partido que foi presidido por José Melo traz a tona um fato da eleição de 2014, quando o ex-governador foi acusado de negociar o apoio à sua reeleição com “Zé Roberto”.

Um diálogo gravado nas dependências do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), veio à tona durante a campanha eleitoral de 2014 e foi divulgado pela revista “Veja” e pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

 No áudio, o traficante promete até cem mil votos a Melo para que ele não os “prejudique”.

Henrique Oliveira

O ex-deputado federal, Henrique Oliveira, presidente do Diretório Estadual do PROS, disse em entrevista ao site Amazonas Atual que não sabe se Reginaldo Soriano é filiado ou se faz parte de comissão provisória do partido.

O presidente disse ainda que “tem interesse” em saber quem é o “Baiaco” e que, caso seja filiado ao Pros e que seja condenado na Justiça, deverá ser expulso.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •