Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

“Gostei de trabalhar com tantos, com todos. Se tivesse que destacar um, destacaria o Alexandre Pato. Quando eu cheguei no São Paulo, perguntei para ele como e onde ele gostaria de jogar. Ele me respondeu dizendo que essa decisão era minha. Mas eu queria que ele, Alexandre, fosse o melhor Alexandre Pato de todos, para escolher onde ele atuaria melhor. Falei que via nele uma oportunidade de atuar mais ou menos como o Pirlo jogava na Juventus, sempre com chance de arrematar os lances pela ponta esquerda. Ele fez 11 gols comigo naquela época”, relembrou.

Apesar de não ter lembrado o estilo de jogo de Pirlo, Alexandre Pato viveu o seu melhor momento dentro do São Paulo sob o comando de Osorio. Em 2015, o atacante marcou 26 gols em 61 jogos e foi o artilheiro do Tricolor na temporada. Desde 2012, quando Luis Fabiano balançou as redes 31 vezes, nenhum outro jogador do clube do Morumbi conseguiu marcar tantos gols em um mesmo ano.

“Sou muito grato a todos. Ao Michel Bastos, Rogério (Ceni), Paulo Henrique (Ganso), Luis Fabiano. Gostei de trabalhar com todos, gosto demais deles. Mas se fosse para eleger um, seria o Pato. Ali foi onde aprendi a jogar com pontas que mudavam de posição e características”, concluiu. (Estadão)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •