Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gazeta Esportiva – Sem ter tido tempo para trabalhar a equipe, o técnico Oswaldo de Oliveira viu o seu Fluminense ser eliminado pelo Corinthians na noite da última quinta-feira no Maracanã, no Rio de Janeiro, pela Copa Sul-Americana. Agora, porém, ela terá o desafio de começar a dar a sua cara ao time que vive delicada situação no Campeonato Brasileiro, com apenas 12 pontos conquistados e mergulhado na zona de rebaixamento.

Uma das principais situações com que ele vai precisar saber lidar é a questão de ter dois apoiadores veteranos e com características parecidas: Nenê, de 38 anos, e Paulo Henrique Ganso, de 29 anos. Com os dois em campo, o Fluminense perde muito em velocidade, apesar de ganhar em qualidade.

Porém, o excesso de técnica não foi o suficiente para fazer o time eliminar o Corinthians. Oswaldo sabe que a pressão com esta situação vai existir.

“Quem vai me dar a resposta se eles podem jogar juntos ou não são eles. O que posso dizer é que são dois grandes jogadores, de muita qualidade e importantes para a sequência da temporada do Fluminense. Se entender que eles não estão produzindo, mudarei. Porém, dada a qualidade deles, sempre que puder, vou usar os dois juntos”, avisou o treinador.

Nenê foi contratado já no segundo semestre, após se desligar do São Paulo durante o recesso do Campeonato Brasileiro para a disputa da Copa América. Já Paulo Henrique Ganso chegou nas Laranjeiras em fevereiro.

O elenco do Fluminense participou de um trabalho regenerativo nesta sexta-feira e no sábado Oswaldo deverá definir a escalação que vai enfrentar o Avaí na próxima segunda-feira, às 20h (de Brasília), no Maracanã, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •