Marcelo Serafim prometeu que nesta quinta-feira, 21, vai levar o caso para o Ministério Público seguido de representação contra Wilson Lima e o seu secretário de saúde
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Angeografria cerebral ou cateterismo cerebral, segundo ensina a literatura médica, é o acesso de uma artéria periférica (do braço ou da perna) para avaliação radiológica de vasos cerebrais.

Pois muito bem.

No Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, localizado na Zona Leste de Manaus, cera de 50 pessoas foram indicadas por especialistas para fazer o exame.

Infelizmente, segundo o vereador Marcelo Serafim (PSB), em vez do exame de angeografria cerebral uma pessoa morre a cada dia no João Lúcio.

Morrem porque não conseguiram, com o tempo necessário, o exame com as urgentes e indispensáveis informações para que outros possíveis procedimentos médicos fossem adotados e, dessa forma, afastar o perigo iminente de morte.

E por que não realizam o exame?

De acordo com o vereador, porque há dois meses a máquina disponível no Hospital Francisca Mendes, está quebrada.

E por que não foi consertada até hoje?

Diz Marcelo Serafim porque tanto o governador Wilson Lima quanto o secretário de Saúde, Rodrigo Tobias de Sousa Lima, não tomaram nenhuma providência, simples assim.

Por causa disso, o parlamentar prometeu que nesta quinta-feira, 21, vai levar o caso para o Ministério Público seguido de representação contra Wilson Lima e o seu secretário de saúde.

Segundo Marcelo Serafim, um exame de angeografria cerebral na rede particular custa em torno de R$ 8 mil.

Veja o vídeo


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •