Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Paris Hilton, 39, falou pela primeira vez sobre o abuso que sofreu durante a adolescência em um internato. Em entrevista à revista norte-americana People, ela revelou que era diariamente traumatizada na Provo Canyon School em Utah, onde permaneceu matriculada por 11 meses, aos 17 anos.

“Os funcionários diziam coisas terríveis. Eles constantemente me faziam sentir mal comigo mesma e me intimidavam “, diz. “Acho que o objetivo deles era nos derrubar. E eles eram fisicamente abusivos, batendo e estrangulando-nos. Eles queriam instaurar medo nas crianças, então ficaríamos com muito medo de desobedecê-los.”

Paris disse que a escola não se concentrava na educação “de forma alguma”. “Do momento em que acordava até ir para a cama, passavam o dia todo gritando na minha cara, gritando comigo, uma tortura contínua”, disse ela. Dentre os castigos da escola, estavam períodos de isolamento completo que chegavam a 20 horas.

O suposto abuso levou Paris a sofrer ataques de pânico “todos os dias”. Ela disse à revista que se sentia “como uma prisioneira” e “odiava a vida” enquanto estava lá.

Explicou, ainda, que seus pais, Rick e Kathy Hilton, tomaram a decisão de mandá-la para um colégio interno depois de “rebeldias” da herdeira, como fugir pra ir a festas e clubes em Nova York.

As tentativas de detalhar o abuso em cartas ou telefonemas para seus pais eram interceptadas pelos funcionários, diz ela. “Eles pegavam o telefone ou rasgavam as cartas que escrevia dizendo: ‘Ninguém vai acreditar em você’.” De acordo com o relatório, ela deixou a escola em 1999 quando tinha 18 anos, e nunca falou sobre os abusos porque disse que se sentia “envergonhada”.

Em documentário sobre sua vida, previsto para ser lançado em14 de setembro, Paris contará outros detalhes nunca antes revelados sobre sua adolescencia. Ela ainda convidou três colegas de escola para darem depoimentos semelhantes sobre o internato. (Folha de S.Paulo)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •