A Índia está classificada em 10º lugar na lista de observação mundial do Portas Abertas para 2020. (Foto: Gospel Herald)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Extremistas hindus em Andhra Pradesh, Índia, espancaram brutalmente um pastor idoso e abusaram verbalmente de sua esposa, em meio à crescente tensão sobre a presença de uma igreja cristã em sua comunidade.

A agência cristã ‘Morning Star News’ relatou que o pastor Eswara Rao Appalabattula foi atacado por um grupo de extremistas hindus depois que ele pediu que parassem de construir um muro destinado a impedir que as pessoas assistissem aos cultos em sua casa em L.B. Aldeia de Patnam, Andhra Pradesh.

“Eles queriam construir um muro bem em frente à igreja e nos proibir de usar o caminho”, disse Appalabattula ao Morning Star News. “Eu implorei a eles que não o fizessem. Mas o grupo de pelo menos seis vizinhos, homens e mulheres, me deu um soco no estômago várias vezes e me empurrou para o chão.

Eles pegaram uma vara de madeira e começaram a bater nas mãos do pastor repetidamente. Mais tarde, os médicos disseram que sua mão havia sido fraturada.

“Eu estava deitado no chão gritando por socorro”, disse ele. “Minha esposa veio correndo e implorou para que parassem de me bater. Foi traumático.”

Ameaças de morte

No mesmo mês, um sacerdote hindu levou um grupo de extremistas à casa do pastor, onde eles ameaçaram matar sua esposa, Karuna Appalabattula, enquanto ela fazia algumas tarefas domésticas no quintal.

“Eu não lutei contra eles, mas fiquei em pânico”, disse Karuna Appalabattula ao Morning Star News. “Eu não sabia o que fazer. Perguntei-lhes: ‘O que vocês estão fazendo? Por que estão nos perseguindo?'”

O sacerdote hindu pegou um grande tronco de madeira e veio correndo na direção do pastor, contou a esposa.

“Ele continuou gritando que me mataria”, disse ela. “Eu estava chorando por ajuda. Mas o líder deles abusou de mim em linguagem extremamente suja. Eles me chamavam de nomes que nunca usariam para mãe, esposa, irmã ou qualquer membro feminino de suas famílias. Ele me chamou de ‘prostituta cristã’ e me avisou que mataria meu marido”.

Quando o pastor informou um policial sobre os abusos sofridos por sua família, ele foi instruído a resolver o caso pessoalmente.

“Eles me disseram: ‘Seu Deus tem que protegê-los. Quando ele não está protegendo vocês de seus agressores, o que podemos fazer aqui?'”, contou o pastor. “Eu disse a eles que era meu Deus que estava me protegendo, se não eu não estaria vivo para contar aquilo”.

Os extremistas hindus ficaram furiosos com a presença de uma igreja em sua aldeia e intimidaram os fiéis para desencorajá-los a se reunirem. O pastor Appalabattula disse que os aldeões hindus haviam impedido os fiéis de comparecer aos cultos ao longo de janeiro.

“Eles os ameaçavam e abusavam deles com linguagem obscena e nem os deixavam [os cristãos] estacionarem suas motos na área”, disse ele. “Mesmo antes de chegar à igreja, os cristãos são perseguidos e mandados embora”.

“Minha esposa e eu testemunhamos viciados em drogas e álcool, e os doentes se entregarem a Cristo, e então eles se recusaram a fazer parte dos rituais hindus na vila”, relatou o pastor.

Por causa da perseguição em curso, jovens e cristãos de aldeias vizinhas que costumavam ir a sua casa diariamente para cultos de adoração, oração e horas de comunhão têm muito medo de ir agora.

“Eles eram como nossos próprios filhos”, disse a esposa do pastor. “Eu preparava as refeições e os alimentava. Cantávamos e adorávamos juntos … Nós dois somos muito velhos e fracos e precisamos de orações e apoio”.

O pastor Appalabattula disse que ele e a esposa estão passando por um período muito difícil em seu ministério. “Estou pronto para morrer por Cristo. Mas o ministério que começamos aqui parou subitamente”, disse ele. “Nem quatro membros estão se reunindo para o culto de domingo. Os crentes ficaram muito assustados e quase ninguém mais ousa nos visitar”.

Contexto

A Índia está classificada em 10º lugar na lista de observação mundial da organização de apoio aos cristãos perseguidos, Portas Abertas para 2020 sobre os países onde é mais difícil ser cristão.

Mais de 1.400 incidentes de perseguição contra cristãos na Índia foram relatados desde o ano em que o primeiro-ministro Narendra Modi e seu partido nacionalista hindu Bharatiya Janata subiram ao poder, de acordo com uma iniciativa da ADF Índia.

Recentemente, foi relatado que extremistas hindus no sul da Índia espancaram crianças cristãs durante um culto antes de registrarem uma queixa policial falsa contra a congregação.

A International Christian Concern, uma organização de defesa sediada fora de Washington, D.C., disse que muitas vezes recebe denúncias de estupros, violência comunitária, acusações de conversão forçada e outros abusos cometidos contra cristãos no país de maioria hindu.

“Casos como esses estão se tornando comuns na Índia e são amplamente alimentados pela retórica do BJP e de outros funcionários de [Rashtriya Swayamsevak Sangh]”, disse o diretor de advocacia da ICC, Matias Perttula. “Eles mostram uma indicação clara do declínio da liberdade religiosa e um aumento na perseguição de cristãos e outras minorias religiosas”. (Com Guia-me)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •