Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta segunda-feira, o São Paulo comunicou, através das redes sociais, a morte de Laudo Natel, ex-presidente e Patrono do clube. Em função do falecimento do antigo dirigente, o Tricolor decretou luto pelos próximos três dias.

Nascido em São Manuel, no interior de São Paulo, no dia 14 de setembro de 1920, Laudo se mudou para a capital paulista em 1946, onde rapidamente se tornou sócio do Tricolor. Apresentado por Luís Campos Aranha ao presidente Cícero Pompeu de Toledo, foi peça fundamental no projeto de construção do Estádio do Morumbi.

Em 1951, Laudo Natel se tornou diretor de finanças do São Paulo, cargo conhecido como tesoureiro na época. Entre suas primeiras e mais importantes ações que tomou durante o cargo, estão a divulgação anual e pública do balanço financeiro do clube, o que tornou o Tricolor como a primeira equipe brasileira a tomar tal atitude, e a venda do Canindé para o abatimento de dívidas.

Assim, Laudo se lançou, junto com o então presidente Cícero Pompeu de Toledo, na construção do maior estádio particular do mundo. Depois de 18 anos de construção e 12 de jejum em títulos, o Morumbi foi entregue aos torcedores são-paulinos no dia 25 de janeiro de 1970.

Após a finalização do ambicioso projeto, Laudo foi responsável pela vinda de Gerson e Pedro Rocha, que se tornaram ídolos no Tricolor e estabeleceram uma nova época vitoriosa no clube.

Os feitos e a liderança de Laudo Natel durante a construção do Morumbi o garantiram o título de Patrono do São Paulo, feito único na história do clube. Em 2005, o o Tricolor batizou o recém-inaugurado CFA de Cotia com o nome de Centro de Formação de Atletas Presidente Laudo Natel, em honra a todos os serviços e anos que o dirigente prestou.

Além de presidente do Tricolor entre 1958 e 1971, Laudo Natel foi Governador de São Paulo em duas oportunidades e também destacou-se como diretor financeiro do Bradesco. (Gazeta Esportiva)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •