O CNJ resolveu o imbróglio entre Domingos Chalub e reconduziu Yedo Simões (Montagem Fato Amazônico)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Pleno do Conselho Nacional de Justiça considerou legítimo o ato do desembargador Domingos Chalub, presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas que nomeou o desembargador João Simões para o cargo de diretor da Escola Superior da Magistratura do Amazonas.

Com a decisão, o ex-presidente desembargador Yedo Simões, que já estava no cargo graças à liminar da conselheira Maria Cristiana Simões Amorim Ziouva, perde a direção da Esmam para João Simões, nomeado pela presidência do Tribunal de Justiça.

Por 14 votos a 1, os conselheiros acompanharam, na tarde desta terça-feira (4), o voto-divergente, proferido pelo Corregedor Nacional de Justiça, ministro Humberto Martins.

O último voto foi do ministro Dias Toffoli, que presidiu a sessão desta terça-feira, e também votou pela divergência, considerando lícita a nomeação de João Simões como diretor da Esmam.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •