Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Eu quero mais que um
Mais que mil e mil e um
Um beijo é muito bom
Mais que mil é mais que bom
Um beijo quando é dado
Tem que ser apaixonado
Pode ser até roubado
Esteja onde estiver, é bom né?

(Sandy, Júnior)

Olá pais pets, tudo bom com vocês?

Hoje o assunto é beijo, melhor dizendo o “lambeijo”, aquela lambida que os pets dão na boca ou no rosto de seus donos, devemos ou não deixar? A resposta todo mundo sabe, que e não, mais muitas vezes, o próprio humano não aguenta tanta fofura e olhinhos brilhando do seu animal e dão um selinho, se deixam ser lambidos na boca ou o pet dá o bote e o dono ganha um lambeijo surpresa bem na boca. Os pets adoram fazer isso! e esse comportamento demostra o carinho que eles tem com o dono, mas a prática de beijar ou ser beijado pelo seu pet na boca, infelizmente, deve ser evitada já que as bocas dos pets são locais contaminados, principalmente, quando paramos pra pensar “onde” os pets costuma lamber e que gostam de cheirar o traseiro de outro pet, antes de tentar um lambeijo no nariz ou boca do seu humano.

A C. Canimorsus e uma doença que seu pet pode lhe transmitir através de um lambeijo é uma doença bem rara, porém sua transmissão pode acontecer e as complicações quando ocorrem são graves, entretanto apesar de ser uma doença rara, por via das dúvidas é bom não “pagar pra ver” e cair na porcentagem que contrai a infecção e desenvolve complicações, mas isso não significa que as lambidas no restante do corpo devam ser impedidas também não viu! só não esqueça que depois de brincar com seu animalzinho, lavar onde recebeu as lambidas com água e sabão. No entanto, no final das contas é mais uma questão de higiene levando em conta onde o pet coloca o focinho, do que o risco de contrair uma doença assim.

Quer saber mais dicas e só acessar nosso instagram e ficar ligado @vemvetam 

Andressa Adrielly Alves Figueiredo

Médica Veterinária CRMV 0835-AM

Fundadora da empresa Vem Vet – Atendimento Veterinário Domiciliar @vemvetam 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •