Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), sob a coordenação dos delegados Paulo Martins e Charles Araújo, titular e adjunto, respectivamente, da especializada, cumpriram na manhã de sexta-feira (29/05), por volta das 8h, mandado de prisão preventiva em nome de Jorge Júnior Moraes de Oliveira, conhecido como “Loirinho”, apontado como autor do homicídio de Alessandro Paixão Pinto, que tinha 37 anos. O crime aconteceu na tarde da última terça-feira (26/05), por volta das 13h50, na rua Garoupa, comunidade Novo Reino, bairro Gilberto Mestrinho, zona leste da capital.

De acordo com o delegado Charles Araújo, os policiais civis prenderam “Loirinho” na residência de uma tia dele, situada na rua Manoel Ribeiro, bairro Tancredo Neves, zona leste da cidade, após receberem denúncias anônimas informando a localização do indivíduo. “Chegamos ao paradeiro do Jorge hoje pela manhã, depois que a população, que confiou no nosso trabalho, fez a denúncia informando a localização dele. Foi uma prisão realizada de maneira célere, em que ele não conseguiu esboçar nenhum tipo de reação”, disse Araújo.

O crime – O adjunto da DEHS explicou que na ocasião do crime, “Loirinho” estava consumindo bebidas alcoólicas com a vítima, no endereço mencionado. Ainda segundo o delegado, em determinado momento, ambos iniciaram uma discussão, e o infrator acertou um soco em Alessandro, que ficou caído no local.

“Consideramos esse crime bárbaro porque o autor atacou a vítima de forma premeditada. Eles tiveram uma discussão e, aproveitando-se que a vítima estava sob efeito de bebida alcoólica, após a briga, o infrator saiu rapidamente do lugar onde estavam e retornou em seguida com uma faca. Ele desferiu duas facadas nas costas da vítima, que veio a óbito no local. O infrator se evadiu do lugar e não sabemos o paradeiro dele”, disse o adjunto da DEHS.

Procedimentos – Jorge Júnior foi indiciado por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos na base da DEHS, ele será levado para a Central de Recebimento e triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria da PC


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •