Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Pouco antes de deixar a China para embarcar aos Emirados Árabes Unidos, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que pode se tornar “um presidente sem partido” caso o embate público no PSL não se resolver. O partido está rachado entre bolsonaristas e bivaristas – grupo leal ao deputado Luciano Bivar (PE), presidente da legenda.

“Tudo pode acontecer. Nunca fui afeto à política, acredite se quiser. […] Eu posso ser um presidente sem partido. As votações na Câmara e no Senado estão sendo feitas por ideal. Senador, deputado, prefeito e governador podem ficar sem partido que não têm problema de perder mandato. Tanto faz eu estar sem partido ou com partido. No PSL, dos 50 e poucos [deputados] lá, tem uns 30 que estão fechadinhos conosco. Os outros 20, tem uma meia dúzia que foi para o radicalismo, e os demais votam conosco, não tem problema”, completou, dizendo que não se preocupa com o racha na sigla pesselista.

O chefe do Executivo disse ainda que pretende trabalhar para “eleger” ao menos 40 candidatos nas eleições municipais de 2020.

“Pretendo ter 30 a 40 candidatos pelo Brasil, mas tenho que ter decisão sobre o partido. Não posso entrar e, quando chegar na convenção, eles me deixarem para trás porque têm maioria”, avaliou.

O presidente ainda emendou: “E eles sabem que quem quer ser candidato a prefeito no ano que vem é melhor tirar uma foto comigo e não com outra pessoa”, concluiu.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •