Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Prefeitura de Manaus deu início nesta quarta-feira, 29, ao plano de ação para um possível enfrentamento do novo Coronavírus que foi identificado na China. Segundo o Ministério da Saúde (MS), no Brasil são nove casos de suspeitos.

As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital estão em alerta e preparadas para prestar atendimento adequado à população.

Segundo a Secretaria Municipal de Comunicação, o lançamento de uma campanha de conscientização, nesta quinta-feira, 30, nos veículos de comunicação e nas redes sociais, a partir desta quinta-feira, 30, é o primeiro grande passo para alertar a população sobre os sintomas e medidas de prevenção da doença.

Segundo o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, a Sala de Situação do município, instalada em 2018 para monitorar o avanço de casos de sarampo na cidade, será utilizada para fazer o monitoramento do eventual surgimento de casos suspeitos de infecções respiratórias causadas por esse novo vírus.

Hoje, técnicos em Vigilância em Saúde discutiram quais as unidades que serão referência para fazer o acompanhamento de possíveis casos que possam ser enquadrados como suspeitos.

“Faremos um georreferenciamento entre as 23 unidades de saúde referenciadas para identificar quantas e em quais serão concentrados esses atendimentos específicos ao novo Coronavírus”, explica o titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Marcelo Magaldi.

Também será reforçado o estoque de material de proteção para os profissionais de saúde e usuários, como máscaras, luvas, álcool em gel, medicamentos para o tratamento dos sintomas, como analgésico, anti-inflamatório, antitérmico e soro de reidratação oral.

E, no que se refere à avaliação do período sazonal para a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), a Semsa registrou, no período de 27 de outubro de 2019 até o momento, 114 casos que foram provocados por diferentes vírus, incluindo Influenza B, Adenovírus, Vírus Sincicial Respiratório e Metapneumovírus, resultando em um total de 13 óbitos.

Atuação nos Aeroportos

A Semsa também tem colaborado com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para alertar e orientar a comunidade aeroportuária sobre os casos da doença respiratória originada na China, causada pelo novo Coronavírus.

De acordo com a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira, o foco da parceria com a Anvisa é a atualização sobre as estratégias de prevenção e controle estabelecidas pelo Governo Federal, em parceria com Estados e municípios, para os portos, aeroportos e áreas de fronteira, principalmente na identificação de pacientes apresentando sintomas suspeitos da doença.

Coronavírus

O vírus identificado recentemente na China faz parte da família de Coronavírus, que engloba vários outros tipos de vírus, e normalmente causam infecções semelhantes a resfriados. Mas alguns tipos de Coronavírus podem provocar a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e levar ao óbito.

No caso do novo Coronavírus, ainda há pouca informação sobre com que rapidez ocorre a transmissão de pessoa para pessoa, mas as orientações para a prevenção são as mesmas de outras doenças respiratórias: frequente higienização das mãos, em especial antes de consumir alimentos; utilização de lenço descartável; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir. Além disso, é preciso evitar contato próximo com pessoas com sinais e sintomas de gripe, e não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, copos e pratos.

Atualmente, é considerado como um caso suspeito do novo Coronavírus o paciente apresentando sintomas como febre, tosse, dificuldade de respirar e que esteve em áreas de transmissão ativa do vírus nos últimos 14 dias antes do início dos sintomas.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •