Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Para implementar a Linha de Cuidado da Pessoa Idosa na Atenção Primária à Saúde (APS), a Prefeitura de Manaus reuniu mais de 200 gestores das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), na manhã de quarta-feira, 12/2, no auditório do Hotel Intercity, em Manaus. O projeto qualifica as ações de saúde e busca propiciar assistência mais adequada voltada às pessoas idosas na capital do Estado.

“O ganho nas ações políticas, a partir da implementação desse projeto, será grande no tocante à melhoria da assistência que hoje a Semsa já oferece aos idosos, durante a gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto. E, Manaus, foi uma das capitais brasileiras escolhidas pelo Ministério da Saúde e pelo Instituto Albert Einstein, por estarmos desenvolvendo ações de saúde preconizadas pelo Sistema Único de Saúde, o SUS”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

Os desafios estão postos na vida das pessoas a partir do envelhecimento de homens e mulheres com reflexo direto nas famílias, governos e técnicos na área da saúde pública no país. Com foco aos desafios de melhorar a assistência, o Ministério da Saúde, por meio da Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa, faz uso da política de Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa, definindo prioridades nas ações para implantação da Linha de Cuidado da Pessoa Idosa na rede de saúde.

“Manaus é o 12º município a assumir a implementação do projeto do Ministério da Saúde. Nossa missão, portanto, é apoiar Estados e municípios, de forma a qualificar profissionais que abraçaram a ideia e as novas ações propostas, principalmente aos que trabalham na ponta no atendimento diário aos idosos”, explica a coordenadora de Saúde da Pessoa Idosa do Ministério da Saúde, Elizabete Bonavigo.

A Rede de Saúde do município, no âmbito da assistência à saúde da pessoa idosa, recebeu destaque da coordenação ministerial por se encontrar em andamento as ações que criam o Protocolo da Saúde do Idoso. “Temos em execução, desde 2017, a adoção da Caderneta do Idoso, o que possibilita a avaliação multidimensional, segundo a funcionalidade da pessoa idosa e a qualificação dos profissionais no cuidado”, afirma a gerente da Rede de Cuidados Crônicos do município, a enfermeira Yonara Wanderley.

O evento foi realizado nos dias 11 e 12/2, e foi organizado pelo Núcleo Municipal de Saúde do Idoso em parceria com a Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa (Cosapi/Dapes/SAS) do Ministério da Saúde, do Instituto de Responsabilidade Social Albert Einstein e da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), e do Projeto de Apoio à Saúde da Pessoa Idosa (Proadi) do SUS.

Participaram ainda do evento, as profissionais Deiziane Epifânio, do Departamento de Ações Básicas e Estratégicas (Dabe), da coordenação Estadual da Saúde do Idoso; Yara Quirino, do MS; Sandra Barbosa, Simone Fuster, Miriam Di Giovanni, do Instituto de Responsabilidade Social Albert Einstein.

O envelhecimento é atualmente uma realidade mundial, segundo afirmam especialistas da área. E, tal fato, alterou o perfil demográfico e epidemiológico no Brasil. Como consequência, passou a exigir respostas adequadas nas políticas públicas e de realização do cuidado, visto que a atenção à saúde às pessoas com mais de 60 anos ainda está centrada nas doenças e nas condições agudas, sem alcançar a qualidade e a funcionalidade na vida do idoso.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •