Formação para estagiários e professores mediadores que atuam na modalidade de Educação Especial. Fotos: Cleomir Santos.
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Estagiários e professores mediadores que atuam na Educação Especial, das escolas da Prefeitura de Manaus, participaram da 2ª formação com o tema “Construção de materiais adaptados para o atendimento dos estudantes públicos alvos da Educação Especial”, nesta sexta-feira, 12/7. O encontro foi realizado na Universidade do Estado do Amazonas (UEA), na avenida Djalma Batista, Chapada, zona Centro-Sul.

O curso é realizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio da Gerência de Educação Especial. No total, participaram 569 estagiários e 52 professores mediadores de 479 unidades de ensino de todas as zonas de Manaus, que atendem aproximadamente 5,3 mil alunos inclusos sensorial, físico, intelectual, com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e altas habilidades/superdotação.

A primeira formação dos educadores da Educação Especial ocorreu em março. A última formação será realizada na segunda quinzena de outubro. O objetivo é proporcionar experiências que possam contribuir com o desenvolvimento no processo de ensino-aprendizagem dos estudantes inseridos nas escolas da rede municipal de ensino, para que, dessa forma, a Educação Inclusiva possa galgar patamares de qualidade cada vez mais.

A gerente de Educação Especial da Semed, Dailla Pereira de Menezes, define a formação como um momento muito importante para todos os educadores, pois visa como meta os alunos inclusos na rede municipal.

Formação para estagiários e professores mediadores que atuam na modalidade de Educação Especial.
Fotos: Cleomir Santos.

“Nós temos uma educação inclusiva que quer galgar patamares de qualidade cada vez melhores, mais elevados. Queremos proporcionar a aprendizagem para esses alunos da melhor forma possível”, comentou.

Para a professora mediadora Halen Susie Oliveira, do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Padre Pedro Gabriel, bairro Nossa Senhora das Graças, zona Sul, que participou da primeira formação e agora da segunda, quem ganha com isso são os oito alunos inclusos com novas atividades em sala de aula.

“Levamos o aprendizado de como vamos lidar com as crianças que precisam realmente de todo nosso apoio. Hoje preparamos nosso material didático para essas crianças especiais. É muito importante essa formação para os professores mediadores, pois precisam participar dessa educação inclusiva”, justificou.

Há 10 meses atuando como estagiária, Sinara da Silva Martins, da escola municipal Silvia Helena Costa de Oliveira Bonetti, no Viver Melhor, bairro Lagoa Azul, zona Norte, é estagiária há 10 meses, e destacou que o aprendizado na formação vai ajudar muito o trabalho com os 50 alunos inclusos da escola.

“Esta formação é de grande relevância para os estagiários, principalmente nesta modalidade de educação inclusiva, porque elas agregam a prática com a teoria na verdade, ou seja, como se estivesse colocando em prática tudo o que você aprende. Nós aprendemos adaptar materiais para trabalhar com esses alunos porque precisam de atenção especial”, contou.

O evento contou com apresentação de recursos didáticos pedagógicos confeccionados pelos próprios participantes sob a orientação dos assessores pedagógicos da Gerência de Educação Especial.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •